Carreira & Educação

Podcast: saiba como criar o seu

Por Nelio Xavier
MBA em Comunicação Estratégica • Mestre de Cerimônias & Locutor • Host do Insider

O Podcast tem se tornado uma alternativa inovadora para grandes produtores de conteúdo da web, do rádio, inclusive da TV. Não é exagero dizer que a cada semana, principalmente desde o início deste ano, descubro que mais um “grande player” adentrou na podosfera nacional.

Tem podcast novo todo dia!

PrimoCast, do especialista em finanças Thiago Nigro, e Vida de Solteiro, feito por um elenco bem irreverente do sul do país, são exemplos de podcasts com menos de 4 meses de existência que já estão no TOP 10 do Itunes Charts.

Além deles, youtubers como Nathalia Arcuri, Renato Albani, e grandes emissoras como CBN, Rede Globo e o jornal Folha de São Paulo também estão investindo cada vez mais na mídia online de reprodução de áudio como alternativa mais prática de entrega dos seus conteúdos.

Por que toda essa gente tem feito esse movimento agora?

Por que nunca se buscou ser tão PRODUTIVO quanto nos dias de hoje.

Consumir conteúdo de qualidade enquanto otimiza o seu tempo, ouvindo, é isso que impulsiona o avanço dos podcasts no país. Sem falar no aspecto cognitivo da atenção, da fidelização à voz, do estímulo à imaginação do ouvinte, coisas que diferenciam o podcast dos seus amigos (vídeo e texto), mas isso é tema pra outro artigo.

Será finalmente 2019 o ano dos podcasts no Brasil?

Eu produzo o primeiro podcast sobre conteúdos do LinkedIn do país, o Insider Podcast. Também faço parte da estatística de podcasters novatos de 2019, inclusive tenho percebido esse interesse de produção de podcasts na minha própria rede profissional. Clique aqui para ouvir um trecho do Insider Podcast.

Vamos às orientações Vale lembrar que as dicas de produção que eu vou dar abaixo não são regras, são dicas baseadas na minha experiência de produção do Insider, que estão funcionando comigo e podem te ajudar se você quer produzir o seu podcast.

Você deve considerar três pontos cruciais antes de começar: qualidade de conteúdo, qualidade do áudio e frequência de publicações. Quem disse isso foi a ABPOD (Associação Brasileira de Podcasters) , baseada na Pod Pesquisa 2018, e eu confirmo rs.

1. Equipamentos e Softwares Se você já tem um computador, só precisa de: um microfone bom, uma espuma de proteção ou um pop filter, um fone de ouvido que funcione bem, e um software de edição de áudio, eu uso o Sony Vegas porque já possuía a licença, mas existem outros muito bons e mais fáceis de manusear, como o Audacity e o Adobe Audition.  Vale a pena ter cuidado com eles, acredite, você pode perder audiência se não prezar pela qualidade do seu áudio.

2. Definir formato e frequência Levando em conta que você já tem a sua ideia e seus equipamentos, escolha qual formato se encaixa melhor: entrevistas, monólogo narrado, bate papo (estilo resenha), storytellings, esses são os mais populares do feed. Quando escolher o seu formato, decida a frequência de publicação.  A grande maioria produz semanalmente, é uma frequência bem aceita pelos ouvintes de podcasts.

3. Público e conteúdo É hora de saber para quem vai produzir esse conteúdo em áudio. Busque uma persona que represente o seu público. Quem você acredita que ouvirá primeiro dentro do nicho que pretende atacar com o seu podcast? Se já possui uma grande audiência em outra mídia (Youtube, LinkedIn, Instagram, Facebook) fica ainda mais fácil definir.  De onde virá o seu conteúdo? Quem vai produzir, você mesmo? Defina suas fontes de pesquisa, uma rotina de produção de roteiro para cada episódio, dividido em abertura, desenvolvimento, e conclusão do programa, simples assim.  Terá convidados? Como e quando vai interagir com eles? Terá entrevistas? Com quanto tempo antes precisa confirmar os entrevistados e gravar os episódios? Quando estiver com o conteúdo definido, produza um roteiro e pronto, pode gravar.

4. Gravação e edição Show time! Já chegou até aqui, agora é hora de soltar a voz e gravar o seu programa. Onde? Eu gravo em casa mesmo, consigo “isolar” o ambiente para que o ruído externo seja bem pequeno. Se você tiver acesso a um estúdio, maravilhoso, aproveite!  Vamos lá, grave com certo cuidado com o seu tom, varie ele pra não ficar cansativo de ouvir, coloque personalidade no seu programa, afinal ele é SEU e deve ter a sua cara. Terminou de gravar, agora entra em cena o seu lado cirurgião da voz. Edite no software que escolheu, coloque suas músicas de fundo, vinhetas de intervalo, entrada ou fechamento, e pronto, salve e exporte o arquivo em mp3.

5. Publicação e distribuição Há alguns anos atrás essa era a parte mais delicada, mas ai inventaram o Anchor e tudo ficou mais fácil. Eu publico e distribuo através deste aplicativo, que tem um passo a passo bem tranquilo.  Baixe ele, tem uma versão web também, que permite que você até edite seu áudio por lá, publique, organize seus episódios, coloque suas artes de capa, e ainda agende a distribuição para as maiores plataformas que reproduzem podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Castbox, Podcast Addict, e várias outras.

Fechou o processo? Continue e melhore o seu método de produção a cada semana. Se inspire, crie conteúdos incríveis e depois me manda o link do seu podcast pra eu ouvir.  Não disse antes, mas sou um ouvinte assíduo de podcasts. Quando começar vai perceber que existem vários outros detalhes em cada fase que eu mencionei. Fique tranquilo, vai dar conta de todos, pode me gritar por aqui se quiser. A descrição que eu fiz foi considerando que você, sozinho, assim como eu, irá produzir e crescer de ponta a ponta o seu podcast. Se esse artigo te ajudar a dar o pontapé inicial eu fiz a minha boa ação do dia.

Vamos espalhar a cultura de ouvir pra todo mundo!

Fonte: Linkedin


Talvez você também goste