Comportamento Saúde & Bem-estar

Como manter uma rotina alimentar saudável com a correria do dia a dia

Foto: Reprodução/Divulgação

A correria na rotina é uma realidade na vida de muitas pessoas. É necessário conciliar trabalho, estudos, afazeres domésticos, responsabilidades e compromissos. O cotidiano se torna tão agitado que faz parecer inviável também manter uma rotina alimentar saudável. Os maiores desafios se dão pela falta de tempo para comprar, selecionar e preparar refeições balanceadas.

No entanto, apesar de ser cansativo e difícil, não é impossível obter e incorporar novos hábitos alimentares com benefícios e ganhos para a saúde. Pelo contrário, existem opções rápidas e práticas para quem está nessa busca. De acordo com Karine de Cassia Freitas, nutricionista e membro da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região SP/MS, há algumas estratégias que devem ser adotadas e podem ajudar, mas, antes de tudo é preciso ter foco e o real desejo de atingir essa meta.

”Organização e disciplina são palavras-chave inicialmente. O planejamento da rotina é essencial para o êxito deste objetivo”, assegura Karine. Segundo a nutricionista, as escolhas alimentares sofrem influência de muitos fatores que estão relacionados entre si, em diferentes contextos. “Assim, essas escolhas não são unicamente determinadas pelas necessidades fisiológicas ou nutricionais, mas também pelo meio social e cultural. Essas interações sociais e a cultura na qual o indivíduo é criado apresentam grande influência nas escolhas alimentares e nos comportamentos”, explica.

Evite excessos

Em dias estressantes, é mais propício o consumo de alimentos práticos e de fácil acesso, como lanches e bolachas. Para a nutricionista, o ideal é evitar essas situações, se hidratando bastante durante o dia e comendo alimentos práticos, como frutas ou até lanches com ingredientes in natura, o que evita o jejum prolongado. “É também importante observar as quantidades de alimentos, evitando excessos, e para isso, coma devagar e mastigue bem os alimentos”, aconselha. “Evite distrações durante as refeições, como a televisão ou celular e deixe alimentos saudáveis prontos ou semi-prontos na geladeira, evitando os industrializados”, complementa.

Variedade na alimentação

Para aqueles que comem na rua ou que gostam de adquirir os alimentos prontos, há de se lembrar que atualmente já há uma ampla variedade de preparações rápidas nos mercados, como alimentos frescos prontos para consumo (saladas pré-higienizadas e frutas picadas), além de restaurantes que oferecem alimentos saudáveis em balcões, cabendo ao indivíduo fazer a escolha. “Uma alimentação equilibrada também pede variedade, pois cada alimento tem uma composição nutricional única”, diz Karine.


Congelamento

Dentre as estratégias que ajudam no preparo de refeições saudáveis e que, portanto, auxiliam no dia a dia, encontra-se o congelamento. “Alguns legumes e verduras, por exemplo, podem ser congelados crus e vão direto para o freezer, enquanto outros precisam de um pré-cozimento em água fervente, seguido de um banho rápido em uma tigela com água gelada, o que interrompe o cozimento – a essa técnica chama-se branqueamento de alimentos e, inclusive, feijão e outras leguminosas também podem ser congeladas após cozidas (grão-de-bico e a soja), assim como as carnes”, explica. “Lembrando que é importante realizar o descongelamento de forma adequada também”, orienta.


Acompanhamento familiar

É importante que a família toda se envolva nesse processo. Uma única pessoa não pode ter a responsabilidade de realizar todas as atividades relacionadas ao preparo de alimento (saber o que tem em casa, fazer compras, preparar, limpar) e, na maioria das vezes ainda trabalhar fora. Para a nutricionista, os familiares devem ser treinados quanto à elaboração de lista de compras, planejamento do cardápio e organização dos lanches das crianças, se for o caso, ou para levar ao trabalho, evitando a compra de alimentos calóricos pela rua. “Esses são pontos cruciais para a organização alimentar do dia a dia”, conclui Karine.


Talvez você também goste