Cultura Diversão

Guia da Virada: o que curtir e o que evitar nessa edição

A 11ª Virada Cultural acontece neste final de semana, em São Paulo, e conta com cerca de 1.500 atrações espalhadas por todos os cantos da cidade, em praças, grandes avenidas e teatros, para agradar a gregos e a troianos. Um dos mais importantes eventos do calendário cultural da América Latina, que terá início neste sábado (20), às 18h, e segue por 24 horas, já não tem mais a pampa das primeiras edições, mas continua a oferecer atrações distintas em diversos tipos de música e arte para se manter democrático: haverá samba, pagode, funk e rock, com destaque para a Jovem Guarda, além de shows mais intimistas nas unidades do Sesc e até mesmo no Theatro Municipal, e ainda oficinas de teatro, atividades para crianças. Todas as atrações são gratuitas.

Sabendo que é fisicamente impossível curtir tudo o que acontece na Virada, o Terra preparou um guia com dez shows imperdíveis dessa edição e dez apresentações que achamos melhor você pensar duas vezes antes de ir acompanhar.

Shows imperdíveis

1) Todos do Palco São João (especial Jovem Guarda), a partir das 18h do sábado

Difícil escolher uma atração deste palco, dentre tantos artistas de ouro da época da Jovem Guarda que vão se apresentar. Todos os artistas merecem destaque pela qualidade e peso histórico-cultural de sua arte ao país. O cantor Jerry Adriani abre a série de shows ali, às 18h do sábado. Na sequência, e por 24 horas, o público terá a oportunidade de ver Tony Campello e amigos (20h), o casal Leno e Lilian (0h), The Fevers (4h), Os Incríveis (8h), o tremendão Erasmo Carlos (10h) e a Ternurinha Wanderléia (16h). Quem fecha é o grupo The Jordans (às 18h do domingo).

2) Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Theatro Municipal, às 18h do sábado

Com quase 100 anos de história, a Sinfônica Municipal abre a programação da Virada Cultural no sábado, às 18h, em casa. Sob regência de John Neschling, a orquestra interpreta a Sinfonia Drammatica, de Ottorino Respighi, no Theatro Municipal. Os ingressos serão distribuídos na bilheteria do Theatro, duas horas antes do início do espetáculo.

3) Cumbia Negra, Palco Casper Líbero, às 19h

Lembra daquelas aulas de dança de salão que você semrpe foi doido para pôr em prática? Esse é o momento certo! Cumbia Negra é um grupo de cumbia e rock latino de El Salvador e integra o palco de música latina-americana com músicas pra lá de dançantes. Os músicos J Sanchez, Chacha, Tito, Choco, Ronnie, R Gonzalez, Quincho, El Mingo-Güiro e Mauro-Teclas devem tocar clássicos como Limpia, Triste e La Cumbia Negra .

4) Raça Negra, FUNK SP, 21h

O grupo Raça Negra, que nasceu em São Caetano do Sul e tem 32 anos de carreira, é um dos pioneiros do pagode carregado de romantismo, e deve apresentar clássicos como Talismã, É Paixão e Carolina . Para quem gosta do estilo, é imperdível. O show será às 21h na Capela Socorro (Pça João Beiçola).

5) Lenine, Palco Júlio Prestes, 23h59

O cantor Lenine se apresenta no sábado, às 23h59, show que vale a pena por clássicos como Paciência, É o Que Me Interessa e Hoje Eu Quero Sair Só , além das músicas do inédito último Carbono . Lenine já ganhou cinco Grammy Latino, dois prêmios da APCA, e nove Prêmio da Música Brasileira. E não vale a pena?

6) Cachorro Grande, Palco Rio Branco, às 2h
Uma das melhores bandas de rock dos últimos anos, o Cachorro Grande se apresenta de madrugada, com seu estilo setentista e despojado, com canções que falam de amores perdidos, bebedeira e rock and roll. Os roqueiros de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, devem entoar ótimos clássicos como Sexperienced, Dia Perfeito e Você Não Sabe o Que Perdeu . Diversão na certa.

7) Chico César e Tom Zé, Palco Barão de Limeira, à 1h e às 7h, respectivamente

O palco Barão de Limeira vai abrigar grandes nomes da Música Popular Brasileira, e destacamos dois artistas que se apresentam ali: Chico César e Tom Zé. O cantor Chico César se apresenta a partir da 1h do domingo, e deverá entoar o clássico Mama África . Já às 7h, Tom Zé, grande nome da música brasileira e do tropicalismo, vira o destaque dos holofotes com canções como Xique Xique e Augusta, Angélica e Consolação .

8) Rita Lee Mora ao Lado, Palco Princesa Isabel – Musicais, às 22h

A atriz Mel Lisboa traz encarna a cantora Rita Lee no musical Rita Lee Mora Ao Lado, às 22h. A peça, que ficou em cartaz até o fim do ano passado, faz uma fusão de ficção e realidade, contando a história da cantora roqueira da infância aos dias de hoje. Apoiada por seis músicos, Mel anima a plateia com canções como Agora Só Falta Você, Saúde, Jardins da Babilônia e Ando Meio Desligado , entre outros sucessos. Em nome da festa, o público se rende, esse espetáculo faz uma declaração de amor descarada (e merecida) a Rita Lee, especialmente quando Mel interpreta Coisas da Vida.

9) Robertinho de Recife e Made in Brazil, Palco Rio Branco, às 16h e 18h, respectivamente

Neste palco, duas atrações roqueiras se destacam: o guitarrista Robertinho de Recife e a banda Made in Brazil. Considerado um dos melhores músicos do Brasil, Robertinho de Recife é conhecido por misturar música clássica com heavy metal. Já gravou com artistas internacionais como Peter Tosh, John Lee Hooker e Taj Mahal. Um das bandas de rock mais antigas do país, com quase 50 anos de carreira, o Made in Brazil fecha a noite entoando seus clássicos do primeiro disco, Made in Brazil (mais conhecido como disco da Banana), e do clássico Jack, o Estripador. O show terá a participação do vocalista das Velhas Virgens, Paulão de Carvalho e outros convidados e vai homenagear dois músicos que passaram pelo grupo e morreram recentemente: Percy Weiss (que também era organizador da Virada) e Cornélius Lúcifer, que se juntou ao grupo nos anos 70 e gravou músicas clássicas da banda da Pompéia.

10) Caetano Veloso, Palco Júlio Prestes, 18h

Músico, produtor, arranjador e escritor, o baiano Caetano Veloso foi escolhido para encerrar a Virada Cultural 2015, no domigo, às 18h. Com cinco décadas de carreira, Caetano construiu uma obra musical marcada pela releitura e renovação e considerada amplamente como possuidora de grande valor intelectual e poético. No repertório, composições memoráveis que atravessam as décadas 1960, 1970 e 1980 até alcançar os anos 2000, como Sampa, O Leãozinho, Alegria, Alegria e Abraçaço.

Shows evitáveis

1) Monobloco, Palco Júlio Prestes, às 18h do sábado

Monobloco é um dos mais conhecidos blocos de Carnaval brasileiros do Rio de Janeiro. Bacana, mas há outras atrações de muito peso em outros palcos. você pode ver isso no ano que vem. Procure atrações que sejam mais raras de se ver. Nesse horário, algumas das melhores atrações estão espalhadas por outros palcos.

2) Mc R1, Centro Cultural da Juventude, às 13h

Treme Bunda é uma das músicas mais conhecidas de Mc R1. Você iria com sua mãe ou namorada (o)?

3) Paulinho Boca canta Novos Baianos, Palco Barão de Limeira, às 19h

O cara é fera, mas para ver ele cantar Novos Baianos, mas compete com outras atrações de peso, e do mesmo estilo, em outros palcos próximos. Paulinho Boca é um músico talentoso, ex-integrante do Novos Baianos, que se apresenta no Centro Cultural Vergueiro para apresentar um repertório recheado com sucessos do grupo de MPB.

4) Daniela Mercury, Palco Júlio Prestes, às 21h
A cantora baiana é maravilhosa e, sem dúvida, faz um show super animado. Mas já não é mais novidade na Virada Cultural, do qual participou na edição anterior. Ela, na verdade, substitui a cantora Margareth Menezes que não poderá comparecer.

5) MC Boladinho, FUNK SP, 17h

Outro artista que vai enaltecer a bunda brasileira. Dentre os “clássicos” de Mc Boladinho, que é uma criança, está Que Popo Gigante. De novo, você tem paciência para isso? É mais do mesmo.

6) Peixelétrico. Palco Ipiranga, às 1h

O grupo até que faz um forró misturado com reagge bacana, mas forró universitário já deu o que tinha que dar. Ir ao show é ver mais do mesmo.

7) Anhembi, Show das campeãs do carnaval 2015, às 20h

Carnaval é muito legal, mas para que ver uma coisa que já passou? No ano que vem tem mais! Mas quem sente muito por ter perdido o desfile das campeãs, pode ir ao Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209) no sábado, às 20h, para evento que também vai sortear o desfile do Carnaval 2016. Parece meio burocrático, não?

8) Pedro Baby + Beto Lee, Palco Rio Branco, às 18h do sábado

Pra que ver filhos de expoentes da música brasilera, se gigantes estão se apresentando em outros palcos? A dupla Pedro Baby (filho do guitarrista Pepeu Gomes + cantora Baby Consuelo e Beto Lee (filho da cantora Rita Lee + o guitarrista Roberto de Carvalho) tem talento, de qualquer forma, e se apresenta no Palco Rio Branco às 18h do sábado, no mesmo horário que outros palcos vão bombar, como o show de Jerry Adriani, da Jovem Guarda.

9) Belo, FUNK SP, às 21h

Belo? Mesmo para quem gosta do estilo, já foi o tempo, né? O ex-marido da atriz Viviane Araújo, que era vocalista do grupo Soweto, se apresenta às 21h no FUNK SP (Av. Inajar de Souza, 600, Brasilândia), caso você ache que vale a pena.

10) Mc Rickzinho, Cidade Tiradentes, 13h

Não por ser funk, mas qual a contribuição de Mc Rickizinho para a cultura brasileira? Ah, a música Dinheiro Pra Gastar , que enaltece a ostentação. Não acrescenta nada de novo. O show acontece na avenida dos Metalúrgicos, próximo ao Terminal Velho.

Clique aqui e veja a programação completa


Talvez você também goste