Esportes

Após ouro no Pan, Bimba conquista Semana Internacional de Vela do Rio

O domingo (2) foi de sol forte e vento fraco no Rio de Janeiro. Novamente os velejadores que estão disputando a 28ª Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro ficaram por mais de uma hora em terra esperando o vento aparecer na baía da Guanabara. Quando ele finalmente deu as caras, a Comissão de Regatas conseguiu realizar as três regatas programadas para o dia, encerrando a competição das classes RS:X masculina e Feminina com seis, das nove provas previstas inicialmente.

Como estavam correndo apenas duas classes, foi utilizada apenas uma raia, a do Pão de Açúcar, considerada por muitos como a mais difícil dos Jogos do Rio 2016, por conta da corrente e vento rondado. No final, o brasileiro Bimba Winicki, ouro no Pan de Toronto, mostrou que conhece bem o baía e venceu a competição.

– Ganhar campeonato é sempre bom! Este foi o segundo consecutivo que venci aqui na Baía de Guanabara, mas sigo sempre com o pé no chão. É bom chegar de um Pan-Americano e logo em seguida correr um evento com três ingleses bons, três chineses bons, dois espanhóis bons, argentinos… Tinha muita gente boa, mas sei que falta muita gente, que nem todo mundo está dando o seu melhor ou está com seu melhor equipamento. Mas o que importa é que teve um campeonato com seis regatas e que eu venci. Estou muito feliz e espero fazer um bom Evento Teste – disse ele. Completaram o pódio o chinês Wang Alchen e o espanhol Ivan Pastor.

Já entre as mulheres o pódio contou com duas orientais: Chan Hei Man, de Hong Kong, ficou com o ouro, enquanto Sun Jiali, da China, ficou com o bronze. A espanhola Blanca Manchón ficou com a prata.

Tradicionalmente os orientais velejam melhor no vento fraco. A explicação vem do biótipo deles: são menores e mais leves e, por isso, acabam andando mais. E a prova disso pode ser vista no resultado feminino, que contou com mais duas chinesas entre as cinco melhores. Entre os homens, o quinto colocado também é da China. Alchen chegou a liderar a competição, mas acabou perdendo o ouro por um ponto para o brasileiro.

Sul-Americano de 470 começa nesta segunda:

Nesta segunda-feira começam as disputas das classes 49er, 49er FX e 470 masculino e feminino. Para estas duas últimas o evento também será válido como Campeonato Sul-Americano. Grandes nomes da modalidade que já garantiram a vaga para 2016 aproveitam a competição para conhecer melhor as raias olímpicas.

Na 470 feminina, merecem destaque as neozelandesas Jo Aleh e Polly Powrie, medalha de ouro em Londres 2012, campeãs mundiais em 2013, vice-campeãs em 2014 e campeãs do Evento Teste do ano passado; as britânicas Hannah Mills e Saskia Clark, medalha de prata em Londres 2012 e bronze no Mundial da Isaf em 2014, e as brasileiras Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, já classificadas para o Rio 2016. Fernanda tem, ao lado de Isabel Swan, a única medalha da vela feminina brasileira, o bronze, conquistado em Pequim 2008.

Entre os homens, vale ficar de olho nos australianos Mathew Belchert e Will Ryan, bi-campeões mundiais em 2013 e 2014, bi-campeões europeus também em 2013 e 2014 e campeões do Evento Teste no ano passado; os britânicos Luke Patience e Elliott Willis, prata em Londres 2012; e os cariocas Henrique Haddad e Bruno Bethlem, e os gaúchos Geison Mendes e Gustavo Thiesen, que estão na briga pela vaga brasileira nas Olimpíadas.


Talvez você também goste