Polícia descobre ossadas humanas enterradas na Universidade São Marcos

Terreno da Faculdade de Ciências Biológicas, que está sob intervenção, escondia crânios, fetos e corpos mutilados

Sexta-feira, 01 de Junho de 2012 - 11h17 | Brasil

DIVULGAÇÃO
247" Uma cena de terror, ainda não totalmente esclarecida pela polícia, tomou conta da Universidade São Marcos. Mais precisamente, da Faculdade de Ciências Biológicas, que está sob intervenção e com seus cursos suspensos. Uma denúncia anônima informou à polícia civil, na quarta-feira 30, da existência de ossadas enterradas no ambiente externo da escola. Em diligência, encontraram-se uma série de restos mortais humanos, entre eles 15 crânios e três fetos.Abaixo, nota oficial da Polícia Civil, que ainda investiga a origem das ossadas e a responsabilidade pelos enterros:

DHPP investiga ossadas enterradas na São Marcos

O delegado diretor do DHPP, Jorge Carrasco, enviou nota explicativa a esta assessoria de imprensa a respeito do caso das ossadas encontradas no terreno da Universidade São Marcos. Leia:

"Nesta quarta-feira 30, a 5ª Delegacia de Polícia de Repressão a Crimes contra Criança e Adolescente - Divisão de Homicídios do DHPP, recebeu denúncia anônima informando que, num terreno da Universidade São Marcos, estariam enterradas ossadas humanas.

A delegada Cíntia Tucunduva instaurou inquérito imediatamente e pediu à Justiça um mandado de busca e apreensão para ir até o local e comprovar o que havia sido denunciado. O mandado foi expedido.

A delegada pediu auxílio do Canil da Polícia Militar. No local, graças ao faro apurado dos cães, foram encontrados 15 crânios, vários ossos, 3 fetos, uma criança sem cabeça e sem mãos e um cadáver adulto sem as pernas.

As investigações apontaram que a Faculdade de Ciências Biológicas - Universidade São Marcos está sob intervenção e com os cursos suspensos. Em contato com o auxiliar de manutenção P.L.E., a polícia soube que ele próprio teria enterrado os cadáveres a mando do coordenador administrativo S. R.S..

Ambos foram levados para a delegacia, acompanhados da reitora da instituição, M.A.V., que é ex-perita judicial, odonto-legista. A polícia prossegue nas investigações para esclarecer o que houve.

Jorge Carlos Carrasco
Delegado de Polícia Diretor do DHPP"

 

Brasil 247
Compartilhe:

* Todos os campos são obrigatórios.

Editoria: Últimas notícias

* Todos os campos são obrigatórios.