Rússia, de virada, tira ouro do vôlei do Brasil

Na final olímpica do vôlei masculino, Brasil sofre virada da Rússia; depois de estar vencendo por 2 a zero, perde por 3 a 2; equipe de Bernardinho, com Ricardinho em quadra por menos de 3 minutos, fica com a prata

Domingo, 12 de Agosto de 2012 - 10h39 | Esportes

Reuters

247 " O vôlei brasileiro caminha para se consagrar em Londres. Depois de conquistar o ouro no vôlei feminino, com uma vitória sobre os Estados Unidos, e a prata no vôlei de praia, com Alison e Emanuel, o time de Bernardinho vai também vencendo a Rússia na final olímpica do vôlei masculino.

Mostrando consistência e confiança, a equipe brasileira administrou boa vantagem no primeiro set e conseguiu fechá-lo por 25 a 19. Segundo o comentarista Maurício, o Brasil conseguiu "destruir emocionalmente" a Rússia.

No segundo set, o Brasil também conseguiu abrir vantagem, com os ataques de Dante e Sidão, e foi mantendo uma vantagem razoável, até fechar com 25 a 20. Agora, só falta um set para o tricampeonato olímpico.

TERCEIRO SET - Com o apoio dos 'reservas' Giba e Ricardinho a cada tempo técnico pedido, o técnico Bernardinho vai conduzinho o Brasil com a supreendente calma demonstrada nesta Olimpíada. 10 a 9 para o Brasil. 

Murilo sacou viagem, Bruno fez grande defesa na volta e, pelo meio, Cidão faz mais um ponto. 11 a 9. Em novo saque, Murilo faz a bola russa ser devolvida diretamente, mas a cortada pelo meio da rede não deu resultado. Ponto da Rússia. Walace, depois de três batidas na ponta, faz o Brasil avançar com uma paralela. 12 a 10. Cidão dá um 'viagem', na volta, após pequeno rali, Lucão crava no chão da quadra adversário. Seleção nacional marca 13 a 10 e, percebendo a situação crítica, técnico russo pede tempo. Na volta, com o bloqueio mais acertado, russos marcam seu décimo primeiro ponto. É devolvido, no entanto, com saque na rede. 14 a 11.

Wallace, com doze pontos marcados na partida, vai ao saque, mas russos atacam sobre bloqueio simples e atingem o décimo segundo ponto. Intensa troca de bolas e o placar fica parelho, com 15 a 14 para  Brasil. Murilo é bloqueado e se dá o empate.

Em 15 a 15, agora Murilo, da mesma posição esquerda, faz o ponto. É Bernardinho, agora, que pede o tempo. Pede a Dante para jogar mais alongado, o que significa colocar a bola mais no fundo da quadra adversária. Em 16 a 15, jogadores voltam à quadra. Lucão dá um saque perfeito e a bola vai próxima à linha de fundo russa, ponto! E mais outro, com invasão da linha dos três metros por defensor russo: 18 a 15. Técnico russo pede tempo. "O Brasil está sacando muito bem", diz o ex-levantador Maurício.

Jogo em 18 a 16. Numa jogada plasticamente perfeita, Wallace voa para marcar 19 para o Brasil em linda cortada da ponta direita. A resposta russa vem com um 'pancada' no corredor. 19 a 17. Maioria da torcida é pró-Brasil.

Linda jogada antes do vigésimo ponto do Brasil, com defesa perfeita e Serginho disputando no alto contra bloqueio russo, levando vantagem. Rússia devolve após grande defesa do mesmo Serginho: 20 a 18. Saque fora, sob pressão das arquibancadas, e a Rússia fica mais atrás: 21 a 18 para o Brasil. Em seguida, diagonal adversária dá resultado: 21 a 19. Mas seleção nacional está chegando. E Brasil chega ao 22 com erro na cortada russa: três pontos separam time de mais um ouro olímpico. Entra Rodrigão, 2m05. Rússia faz 20, mas time de Bernardinho está dois pontos à frente. Agora, um ponto só na dianteira, com a Rússia crescendo. Bernardinho para o jogo. Repita-se: ele está calmo. Torcida canta, mas com bom saque russos empatam a partida. Técnico brasileiro para outra vez a partida. Manda rodar. "Se a gente segurar, vamos ganhar o jogo", diz, explicando com um gesto que imita uma manchete. Ele quer a defesa mais tranquila. Funciona. Brasil defende bem saque russo, Bruninho manda na ponta para Wallace e é bola no chão do outro lado. 23 a 22. Entra Giba, mas Russia empata. Adversários com muita garra. Saque adversário. Sai Giba, volta Dante.

Perfeita bola de meio de rede: Lucão deixa Brasil a um ponto do ouro olímpico!!! Quase deu, mas jogo fica empatada após dois ataques russos.

Funciona outra vez a jogada de ponta com Wallace: segundo set point para o Brasil. Bruninho no saque. Rússia usa bloqueio brasileiro e empata. Após grande defesa, russos atacam e passam um ponto a frente. 26 a 25. Bola de meio com Cidão: ponto! Jogo empatado.

Partida disputada palmo a palmo. Rússia tem segundo set point, depois de explorar bloqueio. No saque forçado, central adversário erra. Empate outra vez. Partida vai para 29. Lindas defesas brasileiras, mas russos colocam no chão. Brasil um ponto atrás outra vez. Set point para os advesários. Lucão bate, mas bola volta no pé e russos fecham o set. Partida fica 2 a 1.

QUARTO SET - Ganhando, Brasil ainda fecha a partida. Vantagem, assim, ainda nas mãos de Bruninho, Wallace, Lucão, Serginho, Dante e Murilo. Giba entra para iniciar o set.

Lucão pelo meio. Ponto do Brasil, um a zero. Ele próprio vai sacar. Mikailov usa o bloqueio brasileiro e empata. Wallace, pela ponta esquerda, mostra efetividade mais uma vez e leva time a 2 a 1. Rússia empata a seguir. Jogo super parelho! Giba mostra serviço, Bruinho dá a Cidão e Brasil marca. 3 a 2.  Tetyukhin marca como ponteiro na esquerda. Tudo igual. Saque russo funcionando, Giba é bloqueado e bola volta: 4 a 3 para a Rússia. No erro de saque, empate novamente.

Sidão faz grande saque e bola é devolvida para fora. Vantagem recuperada. Outro saque "foguete" de Sidão, a 121 km/h. Ponto no saque que pode ter sido o mais rápido dos Jogos. Erro no seguinte e Rússia marca o quinto ponto e, em ataque, empata o jogo outra vez. Lucão é bloqueado de novo, Rússia passa a frente. Adversário está com jogadores mais altos em quadra.

A tabelinha Bruinho-Wallace funciona de novo, com ponto de cortada, o décimo nono de Wallace. 7 a 7, mas brasileiro erra saque. Rússia passa a frente. Mas erro de saque reposiciona a partida em igualdade. Giba saca, mas Rússia responde bem: 9 a 8 para o time de vermelho.

Wallace, ele de novo, empata para o Brasil. Lucão força o saque, erra e lá estão os russos um ponto a frente... Com cortada de Murilo, depois de grande defesa de Giba, equipe nacional empata. "Brasil é disparado melhor como equipe", comenta Maurício. Após várias jogadas certas, Wallace é bloqueado e russos recuperam ponto à frente: 11 a 10. O mesmo atacante bate para fora. Estamos dois pontos atrás. Com força, Murilo dá boa resposta ao saque russo e Brasil encosta. Do fundo de quadra, o mesmo Murilo bate para empatar, quando o bloqueio russo manda a bola para fora da quadra brasileira. O empate dura pouco, pois Murilo erra saque e Rússia avança um ponto. Agora, mais um e jogo fica 14 a 12. Bruninho falha no levantamento para Giba, que bate fraco. Rússia faz o décimo quinto ponto na volta. No tempo técnico, Bernardinho e auxiliar técnico divergem: "Faça o que você quiser", ouve o técnico brasileiro. Seria trocar Bruninho por Ricardinho? O certo é que Russia faz ponto de saque e disputa chega a 16 a 12. Saque russo sai por bem pouco, ponto brasileiro. No replay, vê-se bola boa. Sidão erra o saque e jogo vai a 17 a 13. Bruinho outra vez deixa Giba longe da rede. Bola dele para no bloqueio. Rússia 18 a 13, com Giba substituído. Wallace marca. Entra Rodrigão, 2m04, e sai Bruninho.

Finalmente Bernardinho coloca Ricardinho, pela primeira vez na final. Ele levanta bem, mas Thiago Alves erra a cortada. Rússia 20 a 14. Thiago Alves é bloqueado de novo. 21 a 14 para a Rússia. Virada anunciada, mas Brasil reage com o décimo quinto ponto. Numa grande batida de Mikhailov, adversários abrem sete pontos na frente. Lucão bate certo e Brasil faz 16. Ele dá um saque espetacular, rasante, e o décimo sétimo ponto brasileiro faz técnico russo pedir tempo. Mikhailov manda para fora. 22 a 18. Ainda dá? Pelo jeito, sim: Brasil faz mais um ponto. 22 a 19. Diferença de sete pontos, que foi a maior da partida, cai para três. Torcida canta. Lucão dá outro grande saque, mas Russia apara e bate para marcar.

23 a 19. Ricardinho funciona, dá a Rodrigão e ponto. Só que Bernardinho tira Ricardinho... Não deu para enteder. Bruinho no saque. Dá flutuante, mas no final do rali russo joga para fora. 23 a 21. "É so acreditar", diz Maurício. Rússia chega ao set point. 24 a 21. Murilo bate com barulho e Brasil chega ao 22. Ainda set point russo. Murilo saca para fora e set termina. 25 a 22.

SET FINAL - Agora vai a 15. Primeiro ponto é da Rússia. Equipe nacional parece tensa. No bloqueio sobre Lucão, Russia faz dois a zero. Onde está Ricardinho? Wallace bate e bloqueio joga para fora. 2 a 1, mas Rússia faz o terceiro em seguida. Bruninho outra vez levana longe da rede. Bloqueio triplo brasileiro crava no lado adversário. 3 a 2. Outro triplo brasileiro, mas agora para fora. 4 a 2 para os de vermelho.

Longe da rede, Wallace leva sorte e bola bate no bloqueio russo e vai para fora. Torcida volta a crescer. Dante erra o saque e perde-se a chance do empate. 5 a 3. Com 6 a 3, Bernardinho pede tempo, mas não chama Ricardinho. Não está funcionando. Murilo esxplora bloqueio. Jogadores discutem na rede, troca dura de olhares. 6 a 4. Nucerski, com 28 pontos, mostra porque é um dos melhores do mundo. 7 a 4. Bruninho outra vez coloca longe da rede. Russia chega ao oitavo ponto.

Wallace faz ponto, mas russo respondem. Jogo em 10 a 6. Risco de perder de virada é alto. 12 a 6. Rússia já comemora com mais vibração cada ponto.

Match point: 14 para a Rússia, 8 para o Brasil. Invasão de quadra pelos russos evitar fim da partida. 14 a 9. Brasil respira por aparelhos. Não deu. Bucerski faz 15 a 9.

Com Ricardinho em quadra por menos de três minutos, Brasil fica com a prata.

 

Brasil 247
Compartilhe:

* Todos os campos são obrigatórios.

Editoria: Últimas notícias

* Todos os campos são obrigatórios.