27°C 13°C

São Paulo, SP

22°C 13°C

Curitiba, PR

28°C 13°C

Belo Horizonte, MG

34°C 15°C

Rio de Janeiro, RJ

16°C 9°C

Porto Alegre, RS

29°C 20°C

Salvador, BA

Sexta-feira, 22 de Junho de 2018 - 14h02

Pelo menos 22 candidatos são assassinados antes das eleições no México

Agência Brasil

 

A pouco mais de uma semana das eleições gerais no México, marcadas para o próximo dia 1º, pelo menos 22 candidatos e pré-candidatos foram assassinados no país. Em todos os casos, as investigações apontam para o crime organizado. No caso do México, o crime organizado é associado diretamente à ação dos carteis.

 

Há, ainda, informações que mais de uma centena de candidatos e pré-candidatos sofreram algum tipo de agressão. Em meio a dados não confirmados oficialmente, há indicações que os números de mortes pode chegar a 47.

 

De acordo com a agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA), os carteis mexicanos são os principais provedores de drogas para o mercado norte-americano. Em relatório divulgado ano passado, a DEA informou que as organizações criminosas multinacionais mexicanas são um desafio.

 

A presidente do Tribunal Eleitoral do Poder Judicial da Federação, Janine Otálora, disse que o crime organizado “atua com premeditação” para decidir o assassinato de quem vai concorrer às eleições. Segundo ela, a violência marca a campanha eleitoral deste ano no México.

 

Em 1º de julho, os mexicanos irão às urnas para escolher o presidente da República, deputados federais e senadores, além de representantes em 19 departamentos. No México, o Senado tem 128 assentos e a Câmara Federal reúne 500 parlamentares.


publicidade:

publicidade:

publicidade: