30°C 17°C

São Paulo, SP

22°C 14°C

Curitiba, PR

30°C 17°C

Belo Horizonte, MG

35°C 17°C

Rio de Janeiro, RJ

22°C 17°C

Porto Alegre, RS

27°C 21°C

Salvador, BA

Terça-feira, 09 de Outubro de 2018 - 17h41

Gleisi diz que Haddad, a pedido de Lula, não irá mais visitá-lo

Agência Brasil

Foto: Reprodução/Instagram

 

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), disse na terça-feira (9) que o candidato do partido à Presidência, Fernando Haddad, a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, não deve visitá-lo em Curitiba na etapa final da campanha. Lula está preso desde abril na carceragem da Polícia Federal após condenação em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP).

 

Ir a Curitiba nas segundas-feiras passou a fazer parte da rotina de Haddad, como ocorreu ontem (8) logo após o primeiro turno das eleições. De acordo com Gleisi, foi o próprio Lula que determinou a Haddad para concentrar os esforços na campanha.

 

“'Manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui'”, disse a presidente do PT repetindo a frase que teria sido dita por Lula. “Estamos com um curto espaço de tempo. Só temos mais duas semanas”, justificou sobre a orientação do ex-presidente. A senadora participou de reunião do diretório nacional da legenda e governadores.

 

Apoios

Haddad passou a manhã de terça (9) reunido com líderes do PT. À tarde, ele recebeu o apoio dos governadores do Maranhão Flávio Dino (PCdoB); do Piauí, Wellington Dias (PT); da Bahia, Rui Costa (PT); de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) e do Ceará, Camilo Santana (PT).

 

Haddad reuniu-se ainda com o candidato pelo PSOL, Guilherme Boulos, que oficializou apoio no segundo turno. “É o primeiro partido que a gente tem o apoio formal e encontro com Fernando Haddad”, enfatizou. 



publicidade:

publicidade:

publicidade: