24°C 17°C

São Paulo, SP

22°C 15°C

Curitiba, PR

28°C 19°C

Belo Horizonte, MG

31°C 19°C

Rio de Janeiro, RJ

27°C 18°C

Porto Alegre, RS

34°C 24°C

Salvador, BA

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2019 - 16h24

Após pedido da Defensoria Pública, Vale suspende repasses de R$ 15 mil

Agência Brasil

Foto: Washington Alves/Reuters/Direitos reservados

 

A mineradora Vale suspendeu os repasses de R$ 15 mil que haviam sido anunciados para as pessoas que tinham atividade comercial na área atingida pelo rompimento da barragem da Mina do Feijão, ocorrido em 25 de janeiro na cidade de Brumadinho (MG). A medida foi adotada após um pedido da Defensoria Pública de Minas Gerais.

 

"Comunicamos que as doações de R$ 15 mil estão suspensas temporariamente até que a empresa e os órgãos públicos competentes revisem a documentação necessária neste processo específico", informou a Vale. Segundo a mineradora, a questão deve ser tratada em audiência agendada para a próxima quinta-feira (14).

 

De acordo com a Defensoria Pública, a suspensão temporária do cadastramento para o recebimento dos R$ 15 mil foi recomenda para garantir que os repasses sejam feitos de forma segura e não causem prejuízos aos atingidos. Segundo o órgão, o cadastro tem gerado dúvidas entre os moradores. Os documentos apresentados pela Vale davam margem para que, no futuro, a doação pudesse ser confundida com a indenização.

 

A doação de R$ 15 mil para pessoas que atuavam no comércio local não foi a única anunciada pela Vale. Três dias após a tragédia, a mineradora disse que repassaria R$ 100 mil para quem teve parente morto. Na ocasião, a empresa destacou que se tratava de uma doação emergencial sem relação com eventuais indenizações. Esses pagamentos já estão ocorrendo.

 

Posteriormente, a Vale prometeu ainda R$ 50 mil para os moradores que tinham imóvel localizado na chamada "zona de autossalvamento". Nesse caso, os registros para as doações começaram na segunda-feira (11).

 

Fonte: Agência Brasil



publicidade:

publicidade:

publicidade: