27°C 11°C

São Paulo, SP

25°C 7°C

Curitiba, PR

25°C 14°C

Belo Horizonte, MG

32°C 14°C

Rio de Janeiro, RJ

27°C 15°C

Porto Alegre, RS

27°C 22°C

Salvador, BA

Terça-feira, 03 de Janeiro de 2017 - 09h01

Mercado financeiro projeta inflação de 4,87% para 2017

Agência Brasil

Banco Central

 

O mercado financeiro espera que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fique em 4,87% este ano. A expectativa é que a inflação se situe bem abaixo da projetada para 2016, que passou de 6,40% para 6,38%, de acordo com pesquisa semanal - Boletim Focus - do Banco Central (BC) feita junto a instituições financeiras e divulgada às segundas-feiras.

 

Diante da recessão econômica e da melhora na inflação, o BC tem sinalizado que pode intensificar o corte da taxa básica de juros, a Selic.

 

Nas suas duas últimas decisões, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC cortou a Selic em 0,25 ponto percentual. Atualmente, a taxa está em 13,75% ao ano. A próxima reunião do Copom está marcada para os dias 10 e 11 deste mês.

 

Selic pode cair para 10,25% ao ano

Para as instituições financeiras, a Selic encerrará 2017 em 10,25% ao ano. A previsão - divulgada na semana passada - era 10,50% ao ano.

 

A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

 

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto - PIB - a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) este ano permanece em 0,50%.

publicidade:

publicidade:

publicidade: