Brasil Notícias

Governo desapropria área para o Arco Metropolitano

[mp_script_post_header]

PE247 ” O Governo do Estado publicou nesta quinta-feira (31) um decreto de desapropriação de um faixa de 868 hectares para viabilizar a construção do Arco Metropolitano, que tem como objetivo de implantação de 77 quilômetros de rodovia e ligará a BR-101 Norte, no município de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife (RMR), à BR-101 Sul, na altura do Hospital Dom Hélder Câmara, localizado no Cabo de Santo Agostinho, também na RMR. O projeto está orçado em R$ 1,21 bilhão e será tocado pela Odebrecht Transporte, em sociedade com a Queiroz Galvão e a Iverpar.

A obra está divida em três trechos: Norte, Oeste e Sul. As informações dão conta de que apenas este último está em operação e será duplicado, contando a cobrança de pedágio. O trecho terá 24 quilômetros e ligará a BR-101, próximo ao Hospital Dom Hélder Câmara, e a BR-232. Os outros trechos serão duplicados apenas se houver a demanda crescendo de tráfego. O Arco Metropolitano vai possibilitar mais rapidez no transporte de cargas de caminhões na RMR, desafogando a rodovia federal.

Já foi elaborado um Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) do Arco Metropolitano (confira aqui). Atualmente, o Governo Estadual em parceria com a Fundação Getúlio Vargas avalia os estudos sobre os impactos ambientais para concretizar o projeto.

O arco será a terceira rodovia com pedágio no Estado. A primeira foi da concessionária Rota dos Coqueiros, que viabiliza o acesso à Reserva do Paiva, bairro planejado com 8,5 quilômetros de praias paradisíacas e 450 hectares de mata atlântica, no sul do Grande Recife, bem como o acesso às outras praias do Litoral Sul pernambucano. A segunda deve entrar em operação em outubro deste ano, que é a Via Expressa, cujo objetivo é oferecer um novo sistema de acesso ao Complexo Industrial Portuário de Suape, também no sul da RMR.



Talvez você também goste