30°C 18°C

São Paulo, SP

27°C 14°C

Curitiba, PR

30°C 17°C

Belo Horizonte, MG

33°C 19°C

Rio de Janeiro, RJ

29°C 19°C

Porto Alegre, RS

32°C 24°C

Salvador, BA

Segunda-feira, 22 de Agosto de 2016 - 15h25

Cinco dicas para quem quer colorir os cabelos

Redação Mundo Positivo

 

Muitas pessoas conhecem os cuidados necessários com os cabelos depois de realizar a coloração, como evitar a exposição intensa ao sol e prezar pela manutenção da cor e saúde. Entretanto, também existem algumas ações para quem ainda vai colorir os fios.

 

Realizar tratamentos e cuidados pré-coloração são importantes para que pigmentos e corantes não tragam tantos danos aos fios. O hairstyle e embaixador da iCabelos, Gil Prando, dá algumas dicas. Confira:


LEIA MAIS

+ Veja dicas de moda e beleza
+ Descubra se pintar o cabelo com papel crepom estraga os fios


1. Saúde dos fios

O primeiro ponto a considerar antes de colorir os cabelos é a saúde dos fios. Caso eles estejam sem vida, secos, porosos ou com déficit de nutrientes e vitaminas, corre o risco dos pigmentos não atingirem a cor desejada. Por isso, é sempre importante mantê-los hidratados.

 

“Pelo menos uma vez por semana é preciso fazer hidratação em casa com produtos que sejam enriquecidos com manteiga de karité, óleo de argan ou outros componentes naturais e vitamínicos”, explica o profissional. Caso os fios estejam fracos, o ideal é investir em produtos de reestruturação, preparando-os para receber a cor.


2. Procedimentos químicos

Se você pretende realizar mais de um procedimento químico intenso, uma progressiva, por exemplo, é preciso ficar atento. O mais indicado é que seja realizado um ou outro método, pois os dois são agressivos e podem causar danos à estrutura dos cabelos.

 

“Caso isso não seja possível, a opção ideal é realizar a coloração antes do tratamento. Isso porque depois de receber um químico mais forte, os fios demoram para pegar cor novamente, portanto o descolorante ou a tintura terão de ficar mais tempo agindo. O resultado, portanto, são cabelos muito mais danificados e ressecados”, explica Prando.


3. Alternativas

É interessante pesquisar sobre tinturas menos agressivas, principalmente se a ideia é tingir em casa. “Os produtos que não têm amônia são melhores, já que agridem menos os cabelos e o couro cabeludo”, afirma Gil Prando. Os tonalizantes, apesar de terem uma ação mais discreta, também são indicados para quem quer fazer a manutenção da cor, pois são químicos menos concentrados, lembrando que tonalizantes não têm poder de clarear, sendo ideal para cobrir os primeiros fios brancos


4. Tratamento completo

Realizar o tratamento completo é a melhor escolha. Antes de começar o procedimento, vale a pena ler o passo a passo e se há recomendações para utilizar outros produtos antes ou depois de aplicar a tintura. Essas informações, normalmente, estão explícitas na própria embalagem.

 

Além de respeitar a quantidade recomendada do produto, o ideal é seguir o passo a passo corretamente, respeitando sempre o tempo descrito pelo fabricante, “Economizar tinta para danificar menos os fios ou abusar na quantidade a fim de garantir maior pigmentação são dois erros comuns, principalmente de quem faz o procedimento em casa”,explica o embaixador da iCabelos.


5. Profissional

A escolha do salão e do profissional devem ser feitas com cautela. “Muitas pessoas decidem pela coloração e escolhem um local no impulso, porém isso pode causar um resultado diferente do imaginado”, explica o hairstyle.

 

Uma pessoa qualificada e de confiança sabe como lidar com os cabelos e escolher os produtos e a cor mais indicados para cada tom de pele, estilo pessoal e que respeite a estrutura dos fios.

 

“Muitos profissionais não se incomodam em falar a cor que utilizou, e você poderá fazer o retoque de raiz em casa, facilitando o cuidado pós coloração”, comenta Prando.

publicidade:

publicidade:

publicidade: