23°C 14°C

São Paulo, SP

21°C 9°C

Curitiba, PR

24°C 14°C

Belo Horizonte, MG

26°C 16°C

Rio de Janeiro, RJ

27°C 13°C

Porto Alegre, RS

28°C 22°C

Salvador, BA

Quinta-feira, 15 de Setembro de 2016 - 09h16

Veja os cuidados necessários na hora de se maquiar para não ficar doente

Redação Mundo Positivo

 

O uso de maquiagem é um dos costumes mais antigos das civilizações. Estudos apontam que seu surgimento se deu no Egito Antigo e se espalhou para outras sociedades. Mas nem só para embelezamento dos corpos serviu a maquiagem: ela também foi muito utilizada em táticas de guerra para disfarçar e confundir os inimigos.

 

Atualmente, a maquiagem ganhou adeptos e adoradores em todo o mundo, embelezando mulheres e também homens. Porém, quando não usado de forma correta, pode causar alguns problemas à saúde, já que o seu uso se dá na pele, um dos órgãos mais complexos – sim, a pele é um órgão, por sinal o maior do corpo humano. Entretanto, apesar de acessível a todos, algumas pessoas desenvolvem alergia aos produtos de beleza. Por isso, é importante estar atento na hora de fazer aquele “make” arrasador.

 

O uso de cosméticos que já perderam a validade, por exemplo, pode trazer riscos à saúde, sim. Segundo a dermatologista Régia Ribeiro, do Hapvida Saúde, quando a validade de um produto — seja para cabelos, cremes para a pele ou maquiagens — vence, os ativos da fórmula e os conservantes adicionados acabam perdendo sua finalidade. “Quando o produto está fora do período de validade, ele deixa de fazer efeito e ainda aumenta a possibilidade de contaminação”, alerta. “Os cosméticos são um ótimo espaço para a proliferação de fungos e bactérias e os conservantes justamente são colocados na fórmula para evitar este problema. Por isso, é tão importante estar atento à validade”, explica a médica.

 

A validade tem que ser levada a sério, embora exista uma margem de segurança de duas semanas, em média, para o seu desuso. “Quando vencido, ele pode sofrer oxidação, podendo ocasionar problemas como alergias, coceiras, vermelhidão, inchaço, descamações e, em casos mais críticos, podem aparecer bolhas e queimaduras. Na saúde dos cabelos, o couro cabeludo pode sofrer irritações, piora da caspa, aumento da oleosidade, além do ressecamento dos fios. Quanto aos cosméticos para a região dos olhos, existe risco de conjuntivite e até infecção na córnea”, afirma a dermatologista. Segundo Régia, se não houver cuidado, as alergias podem evoluir para algo mais sério, infeccionando a lesão, com necessidade de tratamento com antibióticos.

 

A especialista ressalta que mesmo cosméticos dentro da validade podem estragar. Isso ocorre porque, às vezes, a embalagem não é bem fechada, é guardada em lugar inadequado ou, ainda, porque houve a contaminação por bactérias que passam das mãos para o produto. Por isso, é recomendado estar atento e analisar frequentemente alguma modificação estranha no aspecto, consistência, cor e cheiro.

 

Com uma oferta cada vez maior desses produtos, aumenta também o número de substâncias diferentes em contato com a pele, ampliando a possibilidade do surgimento de alguma alergia. “Raramente alguém descobre uma alergia antes, pois o comum é que descubram no momento do contato. No entanto, é possível se prevenir. A orientação é que ao utilizar um produto novo, deve-se colocar uma pequena quantidade no antebraço e aguardar por algumas horas. Repita por mais dois dias e, se não aparecer nenhum sinal de irritação, é sinal de que se pode usá-lo normalmente”, recomenda a dermatologista.

 

O importante é estar atento aos sinais, pois os cuidados com a beleza devem estar atrelados aos cuidados com a saúde. Atualmente, o mercado de cosméticos já dispõe de uma gama de produtos de beleza para quem tem alergia: são produtos hipoalergênicos e antialérgicos, indicados no combate à irritação e a outros problemas cutâneos.

publicidade:

publicidade:

publicidade: