30°C 21°C

São Paulo, SP

27°C 19°C

Curitiba, PR

32°C 20°C

Belo Horizonte, MG

38°C 22°C

Rio de Janeiro, RJ

32°C 23°C

Porto Alegre, RS

31°C 25°C

Salvador, BA

Quarta-feira, 09 de Janeiro de 2019 - 11h32

Resolução de Zuckerberg para 2019 é discutir o papel da tecnologia na sociedade

Canaltech

 

Depois de, no fim do ano passado, definir que uma de suas resoluções para 2019 seria “consertar o Facebook”, o CEO da rede social, Mark Zuckerberg, definiu uma segunda resolução, mais pessoal, para 2019: conversar com as pessoas sobre o papel da tecnologia no futuro das sociedades.

 

De acordo com uma postagem da página pessoal do CEO feita nesta terça-feira (8), Zuckerberg planeja criar debates públicos líderes de diferentes campos do conhecimento para debater sobre o papel que a tecnologia terá na definição do futuro das sociedades, transmitindo essas discussões de modo público através do Facebook, Instagram e qualquer outro aplicativo da empresa.

 

De acordo com o texto de Zuckerberg, o CEO durante anos utilizou seus conhecimentos como engenheiro para desenvolver novas tecnologias esperando que elas falassem por si próprias, mas que hoje entende que possui uma importância na vida das pessoas muito maior do que poderia imaginar há alguns anos, e por isso é importante que ele não apenas compartilhe suas inovações, mas também deixe claro quais são suas intenções para com elas.

 

 

Ainda que, em um primeiro momento, a ideia possa parecer interessante, o Facebook ainda vive uma crise de credibilidade muito forte com seus usuários, e o fato de seu CEO parecer confortável o suficiente para tecer discussões filosóficas sobre o papel da tecnologia pode dar a impressão de que ele não está se preocupando muito com o assunto.

 

Ao mesmo tempo, é importante também prestar atenção em quem serão esses especialistas que serão convidados para debater com o CEO, pois criar uma “discussão” apenas com pessoas que concordem com a visão de futuro de Zuckerberg e não o conteste pelas práticas de monopólio, silenciamento de possíveis rivais da rede social e do monitoramento constante das atividades dos usuários no intuito de coletar dados para a venda de anúncios pode indicar que o bilionário não está realmente preocupado em “discutir o papel da tecnologia”, mas sim em criar um corpo de assessoria especializada que irá se esforçar para melhorar a imagem não só da rede social como também de seu CEO, que se tornaram verdadeiros “vilões” para o público geral com os diversos escândalos de uso indevido de dados que empresa protagonizou em 2018.

 

Caso Zuckerberg esteja mesmo disposto a discutir de modo sério e sem segundas intenções a importância da tecnologia e de sua rede social na definição das sociedades do futuro, esse será um esforço louvável, que deve ser elogiado e que ajudará muito a quebrar algumas das concepções errôneas que ainda existem sobre o desenvolvimento tecnológico. Mas, considerando o histórico recente das diferenças entre o que Zuckerberg prega e o que ele realmente faz, é preciso ficar desconfiado de qual é o verdadeiro motivo por trás desse repentino desejo de conversar diretamente com um público do qual ele durante anos tentou se esquivar.

 

Fonte: Canaltech



publicidade:

publicidade:

publicidade: