28°C 20°C

São Paulo, SP

29°C 19°C

Curitiba, PR

27°C 20°C

Belo Horizonte, MG

30°C 21°C

Rio de Janeiro, RJ

29°C 20°C

Porto Alegre, RS

31°C 23°C

Salvador, BA

Terça-feira, 21 de Agosto de 2012 - 12h28

Corrêa ameaça fazer o mesmo caso embaixada seja invadida

Brasil 247
Divulgação

247 " O presidente do Equador, Rafael Corrêa, disse que o governo britânico cometeria um suicídio diplomático se entrasse na embaixada do país em Londres para prender Julian Assange e insinuou que pode fazer o mesmo caso isso ocorra. Na semana passada, Quito concedeu asilo diplomático ao fundador do WikiLeaks, permitindo que ele se refugie no país sul-americano, mas a Grã-Bretanha nega salvo conduto e não permite que ele saia em segurança da embaixada, assegurando que deve prendê-lo e extraditá-lo para a Suécia.

Antes do asilo diplomático, o governo britânico chegou a dizer que poderia tomar ações, como entrar na embaixada do Equador, para prender Assange, informação interpretada por Corrêa como uma ameaça. Segundo o presidente, que concedeu entrevista à TV estatal do Equador, o fato faria com que as missões diplomáticas britânicas em todo o mundo também ficassem expostas a invasões. O governo britânico, porém, já descartou a hipótese.

O chefe de governo não informou quais seriam os próximos passos para tirar o jornalista australiano da representação em Londres, onde ele está refugiado desde junho. Corrêa disse que se necessário, levará o caso às Nações Unidas. Depois de receber apoio da Unasul no último domingo, o presidente equatoriano disse que espera receber também o apoio dos países que compõem a OEA (Organização dos Estados Americanos), que se reunirá na próxima sexta-feira.

Com informações da BBC

publicidade:

publicidade:

publicidade: