32°C 18°C

São Paulo, SP

30°C 16°C

Curitiba, PR

29°C 17°C

Belo Horizonte, MG

36°C 17°C

Rio de Janeiro, RJ

37°C 20°C

Porto Alegre, RS

30°C 25°C

Salvador, BA

Segunda-feira, 25 de Junho de 2018 - 17h49

Como combater um vírus compartilhado no WhatsApp

Publieditorial

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Em fevereiro deste ano, Mark Zuckerberg revelou que o WhatsApp alcançou a marca de 1,5 bilhão de usuários ativos ao mês. Por dia, mais de 60 bilhões de recados são enviados e, só no Brasil, estima-se que cerca de 120 milhões de pessoas usam o aplicativo. Além disso, é sempre bom lembrar que, em 2014, o CEO do Facebook comprou o mensageiro por US$ 16 bilhões.

 

Esses números chamam atenção não só de quem usa o app, mas também daqueles que enxergam uma opção de trapacear os engajados no zap-zap.

 

LEIA MAIS

Cinco maiores perigos da internet
Receita Federal cria alerta para golpe do Bolsa Família
Golpe da camisa da seleção espalha vírus pelo WhatsApp
Hackers usam O Boticário para roubar dados pessoais de usuários


Frequentemente, hackers criam golpes para enganar as vítimas e fazê-las clicarem ou baixarem programas indevidos. Uma vez instalados, os vírus colocam os dispositivos móveis e a vida digital dos donos em perigo.

 

Confira algumas dicas de como combater os malwares compartilhados pelo WhatsApp:

 

De graça é caro

Não acredite em promoções enviadas em grupos de conversas, pessoas desconhecidas ou “amigas”. Se a mensagem induzi-lo a clicar em um link suspeito; a responder qualquer pergunta sem fundamento; e dizer que, para ganhar a promoção é preciso repassar o recado a outras pessoas, então fuja. Porque é cilada! Esta forma de campanha exemplifica a expressão: de graça sai caro. Uma vez na qual você participa, dados pessoais são colocados em risco.

 

Clique aqui! Baixe ali!

A regra é simples quando o assunto é WhatsApp: não clique em URLs desconhecidas e não baixe arquivos por pura curiosidade. Às vezes, basta o download de foto inocente para ganhar um vírus ou um programa espião no seu celular. Neste caso, além de infectar o aparelho, cibercriminosos conseguem acessar informações particulares pelo dispositivo. Logo, é bom não tentar a sorte.

 

Golpe do banco e da TV acabo

Se algum usuário entrar em contato com você pelo aplicativo para resolver algum problema bancário, com a operadora ou a TV por assinatura, não acredite. Em todas essas situações, técnicos são proibidos de fazerem este tipo de abordagem. Principalmente se solicitarem pagamentos, senhas, endereço, nome completo e documentos.

 

Nada de atualizações

WhatsApp não envia links para atualizar o aplicativo. Isto acontece automaticamente ou a partir do meio manual, no caso, quando baixa-se uma versão atualizada do mensageiro direto da Play Store (loja oficial do Google).

 

Não converse com estranhos

Em algum momento da vida, você deve ter ouvido: “não aceite nada de estranhos”, certo? Isso vale para o WhatsApp. Se algum contato diferente vier falar contigo, desconfie. Não responda, bloqueie ou até mesmo denuncie. Não corra riscos duvidosos, ainda mais se enviarem links e arquivos, possivelmente, infectados.

 

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Tem alguma dúvida sobre segurança digital? Envie-nos um e-mail para: [email protected]

 

Quer saber mais sobre segurança na internet? A McAfee, maior empresa especialista em tecnologia de segurança do mundo, tem dicas e soluções que ajudam a proteger os consumidores e as empresas de todos os tamanhos contra os malwares e as ameaças online mais recentes. Para mais informações, acesse o site: http://www.mcafee.com/br.




publicidade:

publicidade:

publicidade: