Mundo

Funcionário da Tesla é preso após matar colega em fábrica na Califórnia

Funcionário da Tesla é preso após matar colega em fábrica na Califórnia - 1

Um funcionário da Tesla foi preso nesta terça-feira (14) após ser acusado de assassinar um colega de trabalho com um rifle. O caso aconteceu na fábrica da montadora em Fremont, na Califórnia, após uma discussão entre os dois durante o expediente de trabalho.

Quando a vítima de gênero masculino encerrou seu turno, o acusado abandonou o posto de trabalho e cometeu o crime no estacionamento da fábrica.

Inicialmente, a polícia foi chamada para investigar uma morte suspeita no fim da tarde de segunda-feira (13), com os paramédicos não sendo capazes de salvar a vida da vítima. No dia seguinte, identificou Anthony Solima como o responsável pelo disparo; ele foi preso em casa, na cidade vizinha de Milpitas, com as autoridades também encontrando, no carro dele, o rifle que foi usado no crime. O homem segue preso e responde por homicídio.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Funcionário da Tesla é preso após matar colega em fábrica na Califórnia - 2
Anthony Solima é acusado de matar colega, também empregado da Tesla, com um rifle impresso em 3D (Imagem: Divulgação/FPD)

Arma do crime era uma ghost gun

Segundo as autoridades, a arma usada no crime é inteira de plástico, com calibre .223, e foi impressa em 3D, com partes que permitem a montagem pelo próprio usuário a partir de guias encontrados online. É o que a polícia chama de “ghost gun”, um equipamento sem registro nem fabricação certificada, que se torna impossível de rastrear e controlar, sendo uma opção cada vez mais comum para a prática de crimes nos EUA.

Mais detalhes sobre o caso, incluindo a identidade da vítima, não foram divulgados. Segundo a polícia de Fremont, o caso segue sendo investigado, principalmente em relação aos motivos que levaram ao crime, com testemunhas sendo ouvidas. As autoridades, por outro lado, descartaram a hipótese de participação de outras pessoas no ocorrido nem consideram que exista risco à comunidade por conta disso.

Da mesma forma, a Tesla também não se pronunciou sobre o caso nem disse se está envolvida nas investigações. Também não há detalhes sobre eventuais interrupções nas atividades da fábrica, que emprega cerca de 10 mil pessoas e é focada no mercado estadunidense de carros elétricos da marca, atualmente em um fluxo alto de montagem para atender metas críticas de final de ano e compras antecipadas realizadas por consumidores dos EUA.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech