Carreira & Educação

Em Santa Catarina, Dilma defende universidade comunitária para expandir educação

[mp_script_post_header]

A presidenta Dilma Rousseff defendeu hoje (27) a importância das universidades comunitárias como forma de expansão da educação superior no país, durante cerimônia em um teatro de Florianópolis.

Leia mais notícias:

STJ manda Google pagar R$ 50 mil a mulher que teve vídeo íntimo divulgado na internet

Vigilância sanitária russa libera exportação de carne de frigorífico de Mato Grosso do Sul

“Eu fico bem à vontade para defender as universidades comunitárias, porque foi no governo do presidente Lula e no meu governo que nós fizemos um processo de reenergização da universidade pública federal”, disse, após vaias de um pequeno grupo durante seu discurso.

Em Itajaí, mais cedo, Dilma recebeu uma placa em agradecimento pela sanção da Lei 12.881/2013, que regulamenta a criação e funcionamento dessas universidades. No evento, a presidenta ressaltou que uma das metas de seu governo é a interiorização do ensino superior.

Na capital catarinense, Dilma participou da assinatura de contratos de financiamento entre o Banco do Brasil e o estado de Santa Catarina, no valor de R$ 2 bilhões. “São obras de defesa civil, de estradas, de hospitais, do sistema prisional, do sistema de segurança, que vão se transformar em bem-estar”, explicou o governador Raimundo Colombo. O contrato permitirá também que ações de saúde e turismo sejam financiadas.

Na cerimônia, a presidenta destacou parceria entre os governos federal, estadual e municipal para a realização de obras. “Meu governo faz parceria com todos os estados da federação e municípios que esse país gigante tem, sem olhar partido político e fé religiosa”, disse.

Outro contrato também foi firmado com a empresa Van Oord Serviços de Operações Marítimas, para a dragagem do Porto de Imbituba, localizado no sul de Santa Catarina. A empresa venceu a licitação para o aprofundamento do canal de acesso, da bacia de evolução e dos berços do porto.

De acordo com o ministro dos Portos, Antonio Henrique Pinheiro Silveira, que assinou o contrato com a empresa, a profundidade do porto passará a ter 15 metros e garantirá que navios maiores aportem no local. “Além de todo o esforço de infraestrutura portuária no estado, agora também vamos terminar a dívida que temos com o estado, com a comunidade portuária e garantir a profundidade adequada ao Porto de Imbituba”.

Após os eventos em Santa Catarina, a presidenta partiu para Brasília.


Talvez você também goste