23°C 9°C

São Paulo, SP

20°C 5°C

Curitiba, PR

25°C 9°C

Belo Horizonte, MG

28°C 10°C

Rio de Janeiro, RJ

18°C 10°C

Porto Alegre, RS

28°C 23°C

Salvador, BA

Quarta-feira, 07 de Fevereiro de 2018 - 18h20

PSDB fecha questão sobre reforma, mas não punirá quem votar contra

Agência Brasil

A Executiva Nacional do PSDB decidiu na quarta-feira (7), reafirmar o fechamento de questão e orientou que os 46 deputados da legenda votem pela aprovação da reforma da Previdência, mesmo com a bancada dividida na Câmara. O presidente da legenda e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, garantiu, no entanto, que quem votar contra não sofrerá nenhuma sanção interna.

 

A medida já havia sido aprovada na reunião da Executiva em dezembro. O governador de Goiás, Marconi Perillo, foi um dos defendeu punição àqueles que votarem contra a proposta, mas foi voto vencido. “Se não aprovar a reforma da Previdência agora, o Brasil vai quebrar”, alertou Perillo.

 

Alguns governadores presentes à reunião em Brasília destacaram a necessidade de fazer reforma da Previdência também nos estados. O governador Pedro Taques, do Mato Grosso, adiantou que fará uma reforma previdenciária no estado nos próximos três meses, elevando a contribuição de 11% para 13%.

 

Nesta quarta-feira (7), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que a previsão da votação da reforma da Previdência está mantida para o dia 20 de fevereiro. A declaração foi feita a jornalistas, na porta da residência oficial da Câmara, no Lago Sul, após o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), dizer que a votação deve ocorrer até o dia 28 de fevereiro.

publicidade:

publicidade:

publicidade: