29°C 22°C

São Paulo, SP

24°C 20°C

Curitiba, PR

27°C 21°C

Belo Horizonte, MG

37°C 26°C

Rio de Janeiro, RJ

25°C 19°C

Porto Alegre, RS

30°C 23°C

Salvador, BA

Sexta-feira, 13 de Julho de 2012 - 12h49

Deputado lança rede social evangélica

Brasil 247
Edição/247

247 " O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) lançou o portal feemjesus.com.br, com conteúdo exclusivo aos evangélicos, e que permite às igrejas arrecadar dízimo online, vender bíblias e lançar CDs. Leia na matéria da Folha:

Que tal trocar o Facebook pelo Jesusbook? E ver seus vídeos no Jesustube sem o risco de tropeçar em "pecado"

Animado com o salto dos evangélicos revelado no último Censo, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) quer organizar o rebanho na web.

Ele está à frente do www.feemjesus.com.br, um projeto de comunicação que pega carona nas redes sociais. Só que o conteúdo é exclusivo aos evangélicos.

"Seremos a maior audiência evangélica do país", aposta o parlamentar. Sua meta é distribuir, até dezembro, 3 milhões de e-mails gratuitos sob endereço "jesus.com".

As principais lideranças evangélicas foram chamadas a integrar uma espécie de conselho editorial para pautar a agenda comum das denominações evangélicas.

"Quero criar um mundo evangélico na internet", disse o parlamentar à Folha.

Cunha afirma que, inicialmente, dois patrocinadores pagam a conta de uma despesa anual estimada em R$ 2 milhões. E aposta na publicidade para ter receita.

As igrejas poderão arrecadar dízimo pelo portal, vender bíblias e lançar CDs. O pastor transmitirá seu culto ao vivo e, se for estrangeiro, haverá tradução simultânea.

Dado demográfico divulgado pelo IBGE mostra o poder desse público alvo: de 2000 a 2010, a população evangélica arrebanhou 16,1 milhões de fiéis, somando 42,3 milhões de brasileiros.

O portal será lançado amanhã, na Marcha para Jesus.

A primeira notícia experimental produzida pelo portal é sobre o que chama de "novo kit gay" encontrado em escolas de São Paulo.

"Os livros, como atestou a reportagem do Fé em Jesus, mostram só figuras, textos e ideias que não respondem aos anseios da natureza humana." O material cita o MEC como distribuidor.

publicidade:

publicidade:

publicidade: