26°C 12°C

São Paulo, SP

22°C 6°C

Curitiba, PR

26°C 15°C

Belo Horizonte, MG

30°C 14°C

Rio de Janeiro, RJ

21°C 6°C

Porto Alegre, RS

27°C 22°C

Salvador, BA

Terça-feira, 11 de Julho de 2017 - 17h34

Veja o manual de cuidados para pessoas acima de 30 anos

Redação Mundo Positivo

Foto: Reprodução

 

A chegada aos 30 anos traz — muitas vezes — a tão sonhada maturidade emocional, mas faz sentir na pele as primeiras perdas metabólicas naturais do organismo, como explica a dermatologista Dra. Claudia Marçal, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology (AAD).

 

"As mulheres chegam ao consultório e apresentam o aparecimento das primeiras linhas de expressão e pequenas rugas de dinâmica ao redor dos olhos e na área da testa, assim como o início da demarcação do sulco nasogeniano, além de perda inicial da elasticidade e firmeza do tecido cutâneo principalmente na região das bochechas e contorno do rosto. A presença de manchas ou sardas, que tem relação direta com a fotoexposição solar precoce e intensa até os primeiros 20 a 25 anos de vida, também é notada", comenta a dermatologista. Tudo isso é resultado de um declínio natural na capacidade de reparo e proliferação celular e acontece após os 25 anos.

 

Segundo a dermatologista, nessa idade, temos a primeira perda no metabolismo de regeneração e começamos a ter deficiência em produzir espontaneamente os antirradicais livres e antiglicantes que combatem os superóxidos que envelhecem o nosso organismo — principalmente gerados pelo stress, poluição, má alimentação, cigarro, privação de sono e consumo exagerado de bebida alcoólica. E o que isso impacta na pele? "Inicia-se a perda da estrutura primária das fibras de colágeno e elastina que se tornam mais frágeis e menos organizadas, perda das proteínas da matriz extracelular como as glicosaminoglicanas e condroitina, além da redução da produção do ácido hialurônico responsável pela hidratação, radiância, firmeza e turgor da pele", completa. E o que deve ser feito? A dermatologista explica os melhores tratamentos: tópicos, via oral e em clínica.

 

Produtos tópicos

"Esta paciente deve higienizar muito bem a pele duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, e a seguir utilizar uma loção tônica que recupere o pH cutâneo e promova hidratação, ação calmante ou ação de controle da oleosidade. O creme para área dos olhos deve ser usado já nessa idade, duas vezes ao dia, de manhã e à noite. Logo em seguida, fazer uso de um bom hidratante, quase sempre na forma de sérum. Pela manhã, independente da época do ano, utilizar filtro solar com FPS 30 e se a pele apresentar manchas procurar utilizar filtros com cor que protegem mais da luz visível. Os filtros devem conter proteção para UVB, UVA, INFRA RED, e luz visível em um conceito mais atualizado e abrangente", afirma. As fórmulas de fotoproteção podem conter vitaminas como a A, E e C e ativos antioxidantes como Alistin, Exo-P e OTZ 10.

 

Quanto aos produtos de revitalização e prevenção, prossegue a médica, é necessário usar cremes poderosos com ativos como Sculptessence, Epidermosil e Progenitrix, todos ajudando a melhorar o relevo cutâneo, além de hidratar e estimular a renovação celular. O ácido hialurônico, explica a médica, pode ter pesos moleculares diferentes, combinando alto, médio e baixo, em fórmulas com silício (como os ativos Hyaxel e DSH CN). "Usar também vitaminas antioxidantes, fatores de crescimento e peptídeos que estimulem proteínas da longevidade. Além disso, à noite sob a indicação de um especialista, iniciar o uso de vitamina C, Alfa-hidroxiácidos e Vitamina A ácida associados ou não a clareadores dependendo da necessidade da pele em questão, que promovem efeito de renovação", conta.

 

Produtos orais

A partir dos trinta anos também aumenta a reação de glicação. "Esse processo é quando o açúcar reage com as proteínas do nosso corpo e endurece as fibras do colágeno, deixando essas fibras menos elásticas e levando a perda da capacidade de contração, gerando um tecido cutâneo menos uniforme e nutrido com mudança inclusive na tonalidade da pele. Esta se torna mais amarelada, menos luminosa e hidratada", analisa. "Ocorre também o início da perda da capacidade da mitocôndria em gerar energia celular", acrescenta. Nesses dois casos, o uso de nutracêuticos é recomendado: "A associação de Exsynutriment, silício biodisponível para dar firmeza à pele, juntamente com Glycoxil (que combate os efeitos maléficos do açúcar na pele) e Bio Arct (que favorece a energia mitocondrial) é fundamental. Os primeiros resultados são vistos após três meses de uso diário, com doses indicadas pelo dermatologista de acordo com a necessidade", explica. Ainda pode ser necessário, segundo a dermatologista, a utilização de vitaminas como a A, C, D, E, além de zinco, magnésio, cobre, selênio, Picnogenol, Polipodium Leucotomus, Coenzima Q10, ômegas, Carnosina, entre outros".

 

Tratamentos

Com relação aos procedimentos em cabine, a médica afirma que a radiofrequência microagulhada tem bons resultados para manchas, textura da pele, poros abertos e cicatriz de acne. Para flacidez, a médica indica a utilização da tecnologia de radiofrequência tripolar do tipo Maximus de uma a duas vezes por semana, em seis ou oito semanas. "O procedimento promove além do aquecimento tecidual volumétrico, uma maior tonicidade das fibras musculares. O procedimento não é doloroso, sem necessidade de recuperação. Utilizando conjuntamente Sculptra, o ácido poli lático, um bioestimulador natural de colágeno que pode ser utilizado no rosto e pescoço, o procedimento promove melhora da firmeza, densidade, elasticidade e volumetria. Realizadas três sessões uma vez por mês do Sculptra", finaliza a médica.

 

Fonte: Dra. Claudia Marçal

Dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School.

publicidade:

publicidade:

publicidade: