23°C 19°C

São Paulo, SP

19°C 15°C

Curitiba, PR

24°C 19°C

Belo Horizonte, MG

28°C 21°C

Rio de Janeiro, RJ

26°C 20°C

Porto Alegre, RS

34°C 25°C

Salvador, BA

Quarta-feira, 16 de Janeiro de 2019 - 13h42

Maquete do Museu Nacional concorre para virar brinquedo Lego

Agência Brasil

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Um projeto de maquete do Museu Nacional, destruído por um incêndio em setembro do ano passado, está concorrendo em um concurso para se tornar brinquedo Lego. Para isso ocorrer, a proposta precisa receber 10 mil curtidas no site da empresa dinarmaquesa. 

 

A maquete em 3D foi apresentada pelo publicitários paulistas Caio Gandolfi e Diego Ferrite. Apesar de nunca terem visitado o Museu Nacional, a dupla descobriu que a Lego Ideas, dona do brinquedo, aceita projetos de pessoas físicas com possibilidade de virar brinquedo no futuro e decidiram montar a proposta sobre o museu como forma de ajudar na reconstrução.

 

“A gente ficou meio chocado quando tudo aconteceu e foi aí que surgiu a ideia de começar a pensar como podiámos ajudar na reconstrução do Museu Nacional mesmo de longe”, disse Caio Gandolfi.

 

Até o momento, o projeto já recebeu 9,7 mil votos. A votação popular está aberta até agosto de 2020. Se o total de votos for alcançado antes, a votação será encerrada.

 

 

Depois da votação, um comitê interno da Lego vai analisar se a maquete poderá ser produzida em peças do brinquedo. “Se a gente conseguir as 10 mil curtidas e se o brinquedo for para a rua, todos os royalties cedidos para a gente serão encaminhados para o fundo de reconstrução do Museu Nacional”. Os dois publicitários já se comprometeram formalmente com o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner.

 

O incêndio destruiu a maior parte do acervo museu, formado por 20 milhões de objetos históricos, artísticos e culturais reconhecidos como patrimônios brasileiros, entre os quais se destacam o fóssil do maior dinossauro já encontrado na América do Sul e o crânio da habitante mais antiga das Américas, Luzia. “Eu nunca vou poder ver as coisas que foram perdidas para sempre, mas o prédio do museu em si ainda pode ser reconstruído e a gente não pode deixar perder isso”, afirmou Gandolfi.

  

Fonte: Agência Brasil



publicidade:

publicidade:

publicidade: