30°C 22°C

São Paulo, SP

31°C 19°C

Curitiba, PR

33°C 20°C

Belo Horizonte, MG

36°C 23°C

Rio de Janeiro, RJ

33°C 21°C

Porto Alegre, RS

32°C 23°C

Salvador, BA

Quarta-feira, 09 de Janeiro de 2019 - 11h30

WhatsApp estaria desenvolvendo sistema de verificação biométrica

Canaltech

 

O WhatsApp estaria trabalhando em um sistema de verificação biométrica para proteger as conversas dos usuários, com o uso do aplicativo sendo liberado somente após a autenticação por meio de impressões digitais. As informações não foram confirmadas oficialmente, mas o recurso deve ser lançado para Android e iOS.

 

A ideia mais direta é de uma adição ao sistema de verificação em duas etapas do mensageiro, já disponível e dependente de um PIN numérico. Essa senha é exigida sempre que o número é ativado em um novo aparelho ou de tempos em tempos no próprio smartphone em que foi ativado, de forma a proteger as conversas do WhatsApp. É um passo de segurança necessário, mas que muitos consideram incômodo — algo que a leitura de digitais pode acabar facilitando.

 

De acordo com as informações preliminares, divulgadas pelo site WABetaInfo, o recurso deve ser liberado primeiro no Android, para os usuários da versão Marshmallow em diante. No iOS, a equipe do WhatsApp também trabalha em uma integração com os sistemas Touch ID e Face ID, incluindo também o reconhecimento facial em iPhones mais recentes, mas essa implementação deve demorar um pouco mais para ser liberada.

 

Como no caso da autenticação em dois fatores, a opção estará desabilitada por padrão, tendo de ser ativada manualmente pelo usuário por meio do menu de configurações. Mais detalhes sobre seu funcionamento, entretanto, não foram revelados, principalmente em relação a possíveis brechas na segurança, como o uso livre em um PC depois da habilitação da versão web do mensageiro, sem que seja preciso inserir o PIN no celular para acesso às mensagens.

 

Como no caso de outros sistemas desse tipo, caso a impressão digital não possa ser identificada por algum motivo, outras credenciais poderão ser usadas para acesso, como o PIN numérico, por exemplo. A proteção por tais métodos vale para o aplicativo como um todo, não sendo possível bloquear o acesso individualmente a conversas desta maneira.

 

Segundo o site responsável pela revelação, o recurso ainda está em estágio Alpha de desenvolvimento, o que significa que ele ainda deve levar um tempo para chegar às mãos dos usuários. O WhatsApp não confirmou as informações nem se pronunciou sobre o assunto.

 

Fonte: Canaltech



publicidade:

publicidade:

publicidade: