21°C 15°C

São Paulo, SP

21°C 12°C

Curitiba, PR

26°C 19°C

Belo Horizonte, MG

25°C 18°C

Rio de Janeiro, RJ

25°C 11°C

Porto Alegre, RS

30°C 24°C

Salvador, BA

Sexta-feira, 03 de Março de 2017 - 09h03

Quais são os sintomas da depressão?

Augusto Biason

Imagem: iStock.com/Getty Images

 

Engana-se quem pensa que o único sintoma da depressão é a sensação constante de tristeza. Esse sentimento é, segundo os especialistas, uma das principais manifestações da doença mas, assim como outras patologias, há diversos traços que indicam o quadro depressivo.

 

Isso não significa, entretanto, que todos os pacientes vão apresentar, necessariamente, todos esses pontos. “É por isso que observamos tanta variedade de ocorrências clínicas de pacientes com depressão. Porém, uma das manifestações comuns à maioria das doenças depressivas é a existência de um transtorno psiquiátrico acompanhado de outros sintomas”, observa o psiquiatra Rodrigo Pessanha.

 

Sinais de depressão

Além disso, a depressão pode desencadear outros problemas de saúde, como alterações cardiovasculares, endócrino-metabólicas e no sistema imunológico – sendo que nenhuma dessas alterações é específica da depressão. Confira abaixo os principais sintomas da depressão:

 

Perda de vitalidade

Um dos primeiros sintomas a surgir no paciente depressivo é a queda no vigor físico e mental. A sensação de fadiga e a falta de motivação e de prazer em realizar atividades cotidianas costumam preceder o fenômeno mais típico da doença, que é a…

 

Profunda tristeza

A ligação entre a doença depressão e o sentimento tristeza é tão forte que, frequentemente, uma chega a ser confundida com a outra. “A tristeza passageira faz parte da vida, e não se pode nem se deve evitá-la”, lembra a psicanalista Júlia Bárány. Mas, se o abatimento for constante, é sinal que precisa ser melhor avaliado. “Ela mina a nossa capacidade de reagir à vida, afetando o funcionamento saudável do nosso corpo e da nossa psique”, completa. Além disso, a sensação de melancolia pode levar a frequentes crises de choro e a…

 

Distúrbios do sono e alimentares

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) mostrou que 80% dos pacientes com depressão apresentam mudanças no hábito noturno. E o mais incrível: destes, quase 25% se queixaram de sonolência excessiva, contrariando a ideia de “sono perdido”. Isso desencadeia uma série de distúrbios, como a ansiedade e a dificuldade de concentração, atenção e fixação de memória. Além do sono, o apetite também pode ser alterado – havendo falta ou excesso desse – culminando em, respectivamente, perda e ganho de peso. Essa queda na qualidade de vida pode desencadear uma…

 

Baixa autoestima

A autoestima é a imagem valorativa que cada indivíduo tem de si próprio. Na depressão, essa imagem é atingida no aspecto que mais incomoda cada pessoa. O resultado pode ser a perda de interesse na vida e a incapacidade de expressar sentimentos positivos e, até mesmo, de ter prazer. Além disso, o baixo-astral leva o paciente a um profundo desânimo e ao consequente…

 

Isolamento social

Frequentemente, o afastamento é usado como uma defesa por quem enfrenta a depressão. Mas essa proteção, quando não administrada, pode virar um pesadelo no combate à doença. “Ela gera efeitos que se retroalimentam: ao se isolar, se sente só. Ao se sentir só, a pessoa se sente rejeitada, menosprezada ou desvalorizada, o que faz com que se isole mais ainda, aumentando a sensação de menos-valia”, adverte o psicólogo Bayard Galvão. Em alguns casos, essa solidão pode levar ao…

 

Pensamento suicida

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15% das pessoas com depressão tentam, de alguma forma, tirar a própria vida. Um número muito alto, visto a abrangência da doença na sociedade atual. Para a psicanalista Júlia Bárány, a saída é estar sempre ao lado do paciente, se colocando a serviço, e nunca julgar ou recriminar o estado dele. “As pessoas ao redor de um deprimido precisam se sensibilizar e procurar tirá-lo desse poço. Uma atitude afetuosa sempre tem um bom efeito num ser humano”, lembra.

 

Imagem: iStock.com/Getty Images

 

Sistema imunológico fragilizado

Pacientes com depressão são mais suscetíveis a doenças e infecções. Isso acontece porque o transtorno enfraquece o sistema imunológico, deixando caminho livre para algumas ameças ao organismo. “A pessoa pode sentir qualquer desconforto, desde dores no corpo até um adoecimento considerado mais grave”, aponta a psicóloga Valéria Lopes.

 

Dores pelo corpo

Algumas dores – como as de cabeça, lombar e muscular – podem ser derivadas do quadro depressivo, já que o paciente apresenta uma queda no nível de serotonina e noradrenalina, causando alteração no sistema nervoso. Consequentemente, sua sensibilidade acaba sendo alterada, influenciando a sensação de incômodo. “Existem estudos que mostram que os circuitos e as áreas cerebrais envolvidos na depressão podem ter zonas de coincidência com os ligados à percepção da dor. Isso pode explicar porque existe essa sensação dolorosa aumentada”, analisa o psiquiatra Rodrigo Pessanha. Incômodos estomacais e no peito também são comuns em pacientes deprimidos.

 

Desconfortos intestinais

Pode parecer estranho, mas a relação entre depressão e intestino é mais próxima do que imagina. Isso porque cerca 90% da serotonina do corpo é produzida na região gastrointestinal. Ou seja, uma queda na produção do neurotransmissor tem efeito direto no funcionamento do intestino, podendo levar, inclusive, ao surgimento da síndrome do intestino irritável.

 

Texto e entrevistas: Augusto Biason/Colaborador

Consultorias: Bayard Galvão, psicólogo; Júlia Bárány, psicanalista; Rodrigo Pessanha, psiquiatra; Valéria Lopes, psicóloga e professora do curso de psicologia da Faculdade Anhanguera de Anápolis (GO).




publicidade:

publicidade:

publicidade: