Mundo Tech Tecnologia

Netflix aumenta preço das assinaturas de usuários brasileiros

Nesta quinta-feira (14) a Netflix anunciou uma notícia que irá deixar muitos fãs decepcionados: a empresa irá subir o preço de suas mensalidades aqui no Brasil.

De acordo com a nova tabela enviada pela Netflix, o preço do plano básico (apenas uma tela, sem HD) subirá de R$ 19,90 por mês para R$ 21,90 por mês (aumento equivalente a 10,05% do valor da assinatura), enquanto o plano padrão (duas telas simultâneas e conteúdo HD) subirá de R$ 27,90 por mês para R$ 32,90 por mês (aumento de 17,92% do valor) e o plano premium (quatro telas simultâneas e conteúdo Ultra HD) passará de R$ 37,90 por mês para R$ 45,90 por mês (um aumento de 21,10% do valor anterior).

De acordo com a assessoria da Netflix, esse aumento será imediato para todos os novos membros (aqueles que passarem a se inscrever no serviço a partir desta quinta, 14 de março) mas aqueles que já são membros receberão notificações por e-mail e pelo app da Netflix avisando quando esse aumento passará a valer para eles.

Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.

A assessoria de imprensa da companhia explica que não há um período específico para quando esse aumento passará a valer, pois depende do ciclo de cobrança individual de cada usuário, e por isso não há como confirmar se haverá um tempo de “adaptação” até a nova tabela começar a ser cobrada ou se isso deverá acontecer já na próxima mensalidade.

Variação do preço das assinaturas Netflix no Brasil entre 2013 e 1019 (Imagem: Netflix)

Essa será a primeira vez que a empresa aumenta o preço da assinatura no Brasil desde 2017 (quando houve aumento apenas nas assinaturas padrão e premium, e não se mexeu no valor do plano básico) e apenas a quarta vez que há uma mudança no preço do serviço no país, que também passou por alterações em 2013 e 2015.

Segundo a Netflix, o aumento anunciado nesta quinta (14) faz parte da política da empresa de rever seus preços periodicamente, a fim de que a companhia possa continuar investindo na produção de entretenimento e na melhoria de seus serviços para o país. Só no ano passado, a empresa investiu mais de U$ 8 bilhões para a produção de conteúdo original, e tudo indica que ela não pretende mudar o nível de investimentos tão cedo.

Leia a matéria no Canaltech.

Trending no Canaltech:

Fonte: Canaltech


Talvez você também goste