Esportes

Dois ouros e dois bronzes no Mundial de Judô

Gisele Federicce

CBJ – O Brasil encerrou com medalhas de ouro sua participação no IJF Masters, uma das mais importantes competições do Circuito Mundial de Judô. Neste domingo, no Palácio de Esportes de Almaty, no Cazaquistão, foram mais quatro medalhas: os ouros de Rafael Silva (+100kg) e Mayra Aguiar (78kg) e os bronzes dos médios Tiago Camilo e Hugo Pessanha. Os quatro pódios se juntam aos bronzes de Rafaela Silva (57kg) e Sarah Menzes (48kg) e dão ao país uma de suas melhores campanhas em eventos internacionais na história. O Brasil terminou em segundo lugar no quadro de medalhas (atrás apenas do Japão) e foi a única nação a vencer mais de uma final, além dos orientais. O IJF Masters é, depois de Mundial e Olimpíadas, o mais importante torneio do mundo e vale pontos para a classificação olímpica para Londres 2012. Apenas os 16 melhores do ranking nas 14 categorias (mais um convidado do país sede em cada uma delas) participaram da competição em Almaty, que dá 400 pontos ao campeão, 240 para a prata e 160 para o bronze.

“Estamos trabalhando para fazer um bom resultado nas Olimpíadas e cada vez confio mais nos nossos atletas e na nossa comissão técnica. O objetivo é chegar no auge em Londres”, diz o coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson. “Essas medalhas nos garantem matematicamente em Londres nessas categorias e dão aos atletas uma tranquilidade maior para trabalhar pensando nos Jogos e não na classificação”, completa o coordenador, lembrando que a lista final será fechada apenas no dia 30 de abril, após o Pan-Americano de Montreal.

No caso do peso médio, a disputa segue cada vez mais acirrada, com Tiago Camilo e Hugo Pessanha disputando ponto a ponto o direito de representar o país nas próximas Olimpíadas. Antes do Masters, Camilo era o quarto colocado do ranking mundial e Pessanha aparecia em décimo lugar.

“Essa briga continua. Serão mais duas competições para eles: o Grand Slam de Paris e o Grand Prix de Dusseldorf, em fevereiro. Vai ser o cheque mate”, avalia Ney Wilson.

“Cada luta é uma final. Como falta muito pouco para fechar o ranking, qualquer ponto conquistado conta muito”, diz Hugo Pessanha. “Não tenho pensado muito na minha disputa com o Tiago. A preocupação é sempre fazer uma boa competição e somar pontos no ranking”, completa o judoca, que luta para ir a sua primeira Olimpíada, enquanto Tiago Camilo quer ir aos Jogos pela terceira vez em três categorias diferentes (foi prata no leve em 2000 e bronze no meio-médio em 2008).

A campanha de Mayra Aguiar, quarta colocada entre as meio-pesado no ranking mundial, foi avassaladora: quatro lutas, quatro ippons e menos de três minutos no tatame (2min44s mais precisamente). A mais vitoriosa brasileira de quimono (quatro medalhas em Mundial Júnior – ouro, prata e dois bronzes – e duas em Mundial Sênior – prata 2010 e bronze 2011) começou vencendo a japonesa Tomomi Okamura (16a do ranking) em 48s; depois passou por Zhehui Zhang (CHN, 18a), em sua luta mais longa, com 1min15s; a semifinal foi contra Anamari Velensek (SLO, 14a) em impressionantes 9s; e, na final, diante da campeã olímpica de 2008, Xiuli Yang (CHN, 6a), Mayra venceu em 32s com um osotogari.

Já Rafael Silva, que disputa com Daniel Hernandes a vaga para Londres 2012, começou com vitória por wazari sobre Yerzhan Shynkeyev (KAZ, 35o, convocado por ser do país anfitrião). Na luta seguinte, o brasieiro sexto do ranking mundial superou o vice-líder da lista, o alemão Andreas Tolzer por yuko. A decisão contra o japonês Daiki Kamikawa (19o) foi decidida apenas no Golden Score (prorrogação) por punição.

Na categoria até 90kg, Tiago Camilo começou ganhando de Timur Bolat (KAZ, 21o), depois passou por Varlam Liparteliani (GEO, 12o) e, em seguida bateu o medalhista do mundial 2010, Elkhan Mammadov (AZE, 5o). Camilo foi derrotado na semifinal por Masashi Nishiayama (JPN, 8o) para ficar com o bronze. A campanha de Hugo Pessanha na mesma categoria teve três combates: começou vencendo Roberto Meloni (ITA, 16o), depois vieram Daiki Nishiyama (JPN, 3o) e Kirill Voprosov (RUS, 14o), de quem perdeu por yuko para ficar com o bronze.

Os demais atletas que competiram no segundo dia no IJF Masters não conquistaram medalhas: Luciano Correa (100kg, 18o) perdeu para Ariel Zeevi (ISR, 11o), Daniel Hernandes (+100kg, 10o) foi derrotado por Alexander Mikhaylin (RUS, 9o) e Maria Suelen Altheman (+78kg, 10o) não passou da campeã olímpica e mundial, Tong Wen (CHN, 4a).

Na véspera, o Brasil já havia subido ao pódio com Sarah Menezes e Rafaela Silva. Para chegar à sua segunda medalha de bronze em Masters (2011-12), Sarah Menezes, terceira do ranking mundial, bateu a campeã olímpica de 2008 Alina Dumitru (6a do ranking) e Alexandra Podryanova (44a do ranking, convocada por ser do país anfitrião), até parar diante da campeã mundial de 2009 e atual vice-líder do ranking, a japonesa Tomoko Fukumi. Já Rafaela Silva, sétima do ranking, passou por Kifayt Gasimova (AZE, 13a do ranking) e pela francesa Sarah Loko (18a), perdendo a semifinal para a campeã mundial de 2010 e líder do ranking, Kaori Matsumoto (JPN). Os outros brasileiros que entraram no tatame no primeiro dia de competição não avançaram na chave. O ligeiro Felipe Kitadai (16o) perdeu para o russo Arsen Galstyan (6o); o meio-leve Leandro Cunha (7o) foi derrotado por Alim Gadanov (RUS, 2o); o leve Bruno Mendonça (14o) não passou do ucraniano Volodymyr Soroka (18o); Erika Miranda, sexta no meio-leve, perdeu para a líder do ranking Yuka Nishida (JPN) e, por fim, Mariana Silva (16a no meio-médio) foi eliminada por Anicka van Emden, da Holanda (4a).

Estarão classificados para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 os 22 homens e 14 mulheres mais bem ranqueados, no limite de um atleta por país em cada categoria. O Brasil tem atualmente 22 judocas dentro do critério de classificação para os Jogos de Londres, distribuídos em 13 categorias. Maria Portela (70kg), 22ª colocada no ranking, garantiria seu lugar em Londres através do sistema de cota continental. Após esta atualização no ranking, apenas Brasil, França, Japão e Coréia do Sul, além da Inglaterra, país sede dos Jogos, possuem representantes em todas as 14 categorias olímpicas.

Na programação da seleção brasileira de judô o calendário prevê treinamento de campo na Holanda, até o fim da semana, para o feminino, e treinamento de campo em São Paulo, com avaliações médicas, para o masculino de 23 a 26de janeiro.


Talvez você também goste