25°C 15°C

São Paulo, SP

21°C 12°C

Curitiba, PR

28°C 15°C

Belo Horizonte, MG

28°C 16°C

Rio de Janeiro, RJ

27°C 18°C

Porto Alegre, RS

28°C 24°C

Salvador, BA

Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2016 - 10h19

Cuidado com a intoxicação alimentar na ceia de Natal

Redação Mundo Positivo

 

As ceias de fim de ano não podem ser um momento de preocupação – principalmente com aquela famosa suspeita sobre a maionese –, mas não serão se forem seguidas orientações simples. Para não transformar um momento de celebração em sinônimo de contaminação bacteriana e intoxicação alimentar, há alguns principais erros que podem fazer toda a diferença e não garantir um jantar/almoço seguro. 

 

A nutricionista Etelma Rosa, do Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, listou as ações mais comuns que podem levar à contaminação dos alimentos – com desagradáveis consequências à saúde de sua família.

 

“Tem muita coisa que as pessoas fazem errada porque acham que não tem problema. Um clássico é deixar a ceia da noite para o dia seguinte sem colocar na geladeira, sem guardar direito”, explica a nutricionista, adicionando que “esta época do ano é muito quente, isso colabora para a proliferação de bactérias. Então tudo que for proteico (como carnes) e que tiver ovos, deve ir para a geladeira. O principal erro das pessoas é achar que depois que cozinhou o alimento não tem mais perigo, mas tem sim”.

 

Outra dica valiosa é ao menos tentar não preparar uma grande quantidade de comida. Quanto mais sobras, menos espaço na geladeira. E menos espaço significa menos ar frio circulando entre os recipientes com as sobras da ceia. E nunca se basear no odor para saber se um alimento já passou do ponto ou não. “A medida não é esta”, avisa Etelma.

 

Para o secretário Arnaldo Jardim, dicas como as da nutricionista do Cesans auxiliam a população paulista a consumir alimentos com mais qualidade. “Garantir a segurança alimentar para as famílias do Estado de São Paulo é uma das principais recomendações do governador Geraldo Alckmin para nós da Secretaria de Agricultura”, destaca.

 

Saiba quais são os principais erros: 

- Manter alimentos expostos fora de refrigeração por períodos longos, às vezes, até o dia seguinte. Isso implica na proliferação de bactérias, principais causadoras de intoxicações alimentares.


- A escolha dos ingredientes para o preparo da ceia é muito importante, pois alimentos muito gordurosos não combinam com o período de Verão. Assim, deve-se dar preferência a receitas com vegetais, frutas da estação e evitar aquelas com carnes muito gordas, toucinho, cremes gordurosos, temperos prontos com muito teor de sódio e gordura.


- Evitar manter preparações à base de ovos fora da refrigeração por período prolongado, como maioneses, rabanadas, doces de ovos, cremes, farofas.


- Manter os alimentos sempre cobertos e, se possível, aquecidos até o momento em que serão servidos.


- Não utilizar o mesmo talher para servir diferentes preparações.


- Não preparar um volume muito grande de comida, de forma que o seu acondicionamento em refrigeração não seja possível e adequado, pois as sobras devem ser devidamente acondicionadas em recipientes apropriados e colocados de forma espaçada para facilitar a passagem do ar frio.

 

Dica: em substituição às bebidas alcoólicas, no caso de restrições, pode-se sugerir o preparo de chás gelados com frutas picadinhas, águas aromatizadas naturalmente (com frutas cítricas ou carambola e/ou gengibre e/ou hortelã ou canela em pau). 

publicidade:

publicidade:

publicidade: