27°C 15°C

São Paulo, SP

23°C 12°C

Curitiba, PR

28°C 18°C

Belo Horizonte, MG

28°C 17°C

Rio de Janeiro, RJ

21°C 15°C

Porto Alegre, RS

31°C 25°C

Salvador, BA

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2016 - 17h23

Os 10 maiores mitos sobre vírus de computador

Publieditorial

Foto: Mundo Positivo

 

Os temidos softwares maliciosos, mais conhecidos como vírus de computador, agem contra os usuários e suas máquinas desde meados dos anos 70. Entretanto, foi apenas em 1982 que o título de “primeiro código malicioso” foi reconhecido nos bastidores do universo tecnológico. O responsável por este fato histórico foi um garoto de 15 anos chamado Rich Skrenta. Ele criou o Elk Cloner, um vírus que exibia um poema a cada 50 vezes que o computador fosse iniciado com um disquete infectado.

 

Quase 40 anos depois, os cibercriminosos estão mais cruéis e atentos a todas as possibilidades de infecções possíveis. A todo instante, eles criam formas de enganar as pessoas e invadir computadores, notebooks e dispositivos móveis a fim de sequestrar dados para garantir um resgate ou mesmo para ter acesso às informações pessoas delas.

 

LEIA MAIS

+ Conheça os perigos de vírus no celular
+ Quais são os tipos de vírus de computador?
+ Vírus, malwares e spywares: saiba como se livrar deles
+ Saiba como fazer uma varredura online em seu computador

 

Todavia, nem tudo o que se diz sobre vírus é verdade. Por isso, a melhor maneira de lidar com essas pragas digitais é conhecendo o inimigo.

 

Confira a seguir, dez mitos sobre vírus de computador:


Foto: Mundo Positivo


1. Todo vírus apresenta um sintoma

Nem sempre. Às vezes, o seu computador pode não estar tão lento a ponto de haver uma desconfiança de infecção, porém enquanto você pensa isso, o vírus alastra-se por todos os softwares da máquina. Logo, não deixe de passar ou instalar o antivírus por preguiça ou achar que nunca será “pego de surpresa”, porque algum hacker pode tirar proveito desta situação e infectar seu PC.

 

2. E-mails de pessoas conhecidas são seguros

Já foi comprovado que os criminosos online aproveitam-se de e-mails para enviar links e arquivos a fim de infectar os computadores dos usuários. Então, não confie em mensagens que não esteja à espera, afinal, hackers podem invadir contas de amigos e espalhar vírus de maneira eficiente, sem que alguém desconfie.

 

3. Não existe problema em abrir e-mail sem anexo

Basta um clique, e pronto. Diversas coisas curiosas começam a acontecer no computador. Janelas que se fecham sozinhas, sites estranhos aparecem do nada, e até uma irritante lentidão na máquina, tudo isso pode ser efeito de uma contaminação por algum programa malicioso, ou seja, o famoso malware de internet. Ele é tão minucioso que, por mais que um e-mail venha sem um arquivo anexo, ele pode estar embutido em um link no meio do texto. Por isso, não clique e muito menos abra páginas desconhecidas.

 

Foto: Mundo Positivo

 

4. Antivírus gratuitos protegem iguais aos pagos

É indiscutível a necessidade de se ter um antivírus instalado em um computador ou notebook. A diferença é que o gratuito protege, mas não possui todas as funcionalidades disponíveis nos softwares de segurança pagos. Alguns filtros antispam (bloqueio de mensagens indesejadas) e antispyware (programas para espionar usuários), por exemplo, só estão disponíveis em versões mais avançadas. Decida com cautela, mas sempre tenha um antivírus no seu PC.

 

5. Só computador com Windows pega vírus

Independente se o seu computador possui sistema operacional Windows, OS X (Mac) ou Linux, ele pode vir a ficar suscetível e exposto a códigos e programas maliciosos. Portanto, toda precaução de segurança digital deve ser tomada para qualquer sistema que o PC tiver. 

 

6. Quanto mais antivírus instalados, melhor!

No caso dos antivírus, não é quantidade que define qualidade. Quando for instalar um, escolha o software de acordo com as suas necessidades, porque ao ter dois, o sistema costuma ficar mais lento e os dois programas passam a competir entre si, o que pode vir a anular a ação de ambos.

 

7. Só se pega vírus por meio da internet

Se alguém lhe disse isso, não acredite. É possível ter o computador e notebook infectados por pen drive, CD de dados, cabo de USB e até mesmo pelos carregadores de celular. Então, quando for conectar algo em sua máquina, configure o seu antivírus para examiná-lo antes.

 

8. Celulares são imunes aos vírus

Mentira. A ameaça mais comum neste caso é o vírus chamados malware, que têm como foco roubar informações dos usuários para diversos objetivos. Entre eles, mandar spams, comprar produtos, serviços e até roubar fotos e vídeos. Esse vírus costuma aparecer quando o usuário clica em algum link malicioso ou baixa aplicativos falsos. Logo, tome cuidado, porque uma vez que o smartphone é contaminado e conectado ao computador, é possível infectar a máquina também.

 

Foto: Mundo Positivo

 

9. Não se pega vírus em sites confiáveis

Normalmente, páginas mais conhecidas costumam ter códigos e um sistema de alerta quando hackers tentam invadi-las. Contudo, como eles estão sempre de olho em sites de grandes acessos para inserir algum malware, mantenha o seu antivírus sempre em alerta e conectado.

 

10. Independente dos nomes, vírus são todos iguais

Existem vários tipos de vírus, sendo que cada um possui uma característica única. Tem vírus que exclui arquivos do computador, como tem aqueles que reduzem as configurações de segurança, atraindo novos ataques. É bom conhece-los e evitá-los, mas acima de tudo, lembrar-se que por mais que eles sejam diferentes, são maliciosos. 

 

Gostou da matéria? Siga a McAfee no Twitter e fique sempre por dentro das dicas de segurança digital

 

Quer saber mais sobre segurança na internet? A McAfee, maior empresa especialista em tecnologia de segurança do mundo, tem dicas e soluções que ajudam a proteger os consumidores e as empresas de todos os tamanhos contra os malwares e as ameaças online mais recentes. Para mais informações, acesse o site: http://www.mcafee.com/br.

 


publicidade:

publicidade:

publicidade: