32°C 19°C

São Paulo, SP

30°C 18°C

Curitiba, PR

30°C 18°C

Belo Horizonte, MG

36°C 19°C

Rio de Janeiro, RJ

37°C 21°C

Porto Alegre, RS

31°C 23°C

Salvador, BA

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018 - 14h48

Como não ter seus dados bancários roubados por hackers

Publieditorial

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Desde 2014, o Brasil encontra-se entre os três países mais atacados por vírus bancários. Um levantamento feito pela empresa de segurança digital Kaspersky Lab, mostrou que os brasileiros são os mais infectados, seguidos pelos russos e pelos italianos.

 

No caso desses ataques virtuais, os cibercriminosos tentam roubar detalhes do cartão de crédito das vítimas, por meio de trojans (programas mal-intencionados que ajudam hackers a ter acesso às informações restritas). Quando o vírus é executado, o arquivo instala um cavalo de troia, o qual é capaz de armazenar informações bancárias no computador do usuário.

 

LEIA MAIS

+ Golpe do plano de dados deixa usuários sem internet
+ Eleições 2018: Bolsonaro é alvo de golpe no WhatsApp
+ Dark Tequila: o vírus que rouba informações bancárias
+ Falsa promoção do iFood é usada para roubar informações de vítimas

 

Outro método bastante utilizado é o phishing. Este nome pode parecer um pouco estranho, mas a prática dele é bastante comum entre os fraudadores, que “pescam” as informações dos usuários da internet a partir de páginas online e e-mails falsos.

 

Quer um exemplo? Sabe aquela cobrança bancáriacadastro da Receita Federal ou até aquele lembrete da operadora de telefonia sobre uma conta vencida, enviados por e-mail? Então, essas mensagens podem ser uma espécie de fraude, usadas apenas para roubar dados importantes.

 

Basta o internauta se descuidar, clicar no link enviado por e-mail e responder perguntas, como: número de conta bancária, CPF e o endereço residencial para que o criminoso tenha em mãos o suficiente para começar uma operação fraudulenta e causar danos morais e materiais, algumas vezes, irreversíveis.

 

Foto: Reprodução/Mundo Positivo

 

Segurança financeira

Hoje, tecnologias de segurança desenvolvidas pelas instituições financeiras, como os tokens, têm sido usadas no combate ao phishing. Para quem usa essa ferramenta ou mesmo os geradores de senha no celular, o usuário só consegue ver uma senha de cada vez, o que dificulta o serviço do criminoso.

 

Como se prevenir?

1. Ao abrir conta em um banco, procure ter os contatos diretos de seu gerente. Troque informações com ele e verifique se a instituição financeira disponibiliza um canal de e-mails para comunicação. Desta forma, você já descarta mensagens suspeitas enviadas por possíveis hackers;

 

2. Tenha sempre um programa de antivírus instalado em seu computador ou dispositivo móvel, para assim, evitar que as ameaças virtuais se aproximem de seus aparelhos e de seus dados pessoais;

 

3. Alguns bancos brasileiros usam endereços terminados em ".b.br", que são exclusivos das redes bancárias. Isso pode ajudá-lo a identificar se o site é ou não falso;

 

4. Nenhum site de cartão de crédito fará você baixar arquivos executáveis. Fique atento e não faça download direto de e-mails;

 

5. Se você receber um e-mail pedindo para fornecer senhas e dados pessoais, fique atento, porque isso se trata de uma fraude. Pedidos como este vão contra a política de comportamento de empresas financeiras.

 

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Tem alguma dúvida sobre segurança digital? Envie-nos um e-mail para: [email protected]

 

Quer saber mais sobre segurança na internet? A McAfee, maior empresa especialista em tecnologia de segurança do mundo, tem dicas e soluções que ajudam a proteger os consumidores e as empresas de todos os tamanhos contra os malwares e as ameaças online mais recentes. Para mais informações, acesse o site: http://www.mcafee.com/br.




publicidade:

publicidade:

publicidade: