28°C 18°C

São Paulo, SP

24°C 16°C

Curitiba, PR

30°C 19°C

Belo Horizonte, MG

32°C 22°C

Rio de Janeiro, RJ

30°C 19°C

Porto Alegre, RS

34°C 23°C

Salvador, BA

Terça-feira, 27 de Novembro de 2018 - 15h39

Marte acaba de receber seu mais novo "morador robótico", comemora Nasa

Agência Brasil

Foto: NASA/JPL-Caltech/Handout via REUTERS /Direitos Reservados
 
 
Depois de uma viagem de sete meses e de 458 milhões de quilômetros, a sonda InSight (da sigla em inglês para exploração interior utilização investigações sísmicas, geodésia e transporte de calor) pousou com sucesso em Marte nesta segunda-feira (26), anunciou a Agência Espacial Norte-americana (Nasa). A missão de dois anos da InSight será para estudar o interior profundo de Marte, para aprender como todos os corpos celestes com superfícies rochosas, incluindo a Terra e a Lua, se formam.

 

A agência anunciou ainda que, nesta terça-feira (27) a InSight enviou sinais para a Terra, indicando que seus painéis solares estão abertos e coletando luz solar na superfície marciana. A sonda Mars Odyssey da Nasa retransmitiu os sinais, que foram recebidos na Terra. A implantação de painéis solares garante que a espaçonave possa recarregar suas baterias todos os dias. A Odyssey também transmitiu um par de imagens mostrando o local de pouso da InSight.

 

"A equipe da InSight pode ficar um pouco mais tranquila hoje (27), sabendo que as matrizes solares estão sendo implantadas e recarregando as baterias", disse Tom Hoffman, gerente de projeto da InSight, no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA, em Pasadena, na Califórnia, que lidera a missão. "Tem sido um longo dia para a equipe. Mas amanhã começa um excitante novo capítulo para o InSight: operações de superfície e o início da fase de implantação do instrumento", informou.

 

Segundo a Nasa, as matrizes solares gêmeas da InSight têm 2,2 metros de largura cada. Abertos, os painéis têm o tamanho de um grande conversível da década de 1960. Marte tem luz solar mais fraca do que a Terra porque está muito mais distante do sol. Mas a sonda não precisa de muito para operar: os painéis fornecem 600 a 700 watts em um dia claro – o suficiente para alimentar um liquidificador doméstico.

 

Sensores

Nos próximos dias, a equipe da missão vai desengatar o braço robótico da InSight e usar a câmera acoplada para tirar fotos do solo, a fim de que os engenheiros possam decidir onde colocar os instrumentos científicos da espaçonave. Levará de dois a três meses até que esses instrumentos sejam totalmente implantados e os dados comecem a ser enviados à Terra.

 

Enquanto isso, a InSight usará seus sensores meteorológicos e magnetômetro para fazer leituras de seu local de pouso na Elysium Planitia, sua nova casa em Marte.

 

O módulo InSight foi lançado da Base Aérea de Vandenberg na Califórnia em 5 de maio e aterrissou perto do equador de Marte, no lado oeste dessa planície chamada Elysium Planitia, com um sinal afirmando uma seqüência completa de pouso.

 

Perfuração

Foi o oitavo pouso da Nasa em Marte. "Nós atingimos a atmosfera marciana a 19,8 mil quilômetros por hora, e toda a seqüência de tocar a superfície levou apenas seis minutos e meio", disse o gerente do projeto.

 

A sonda foi construída para investigar minuciosamente, pela primeira vez, o que está dentro de Marte. "O pouso foi emocionante, mas estou ansioso para a perfuração", disse o investigador principal da InSight, Bruce Banerdt, do JPL.

 

Para a Nasa, o sucesso da missão "é um tributo às centenas de engenheiros e cientistas talentosos que colocaram sua genialidade e trabalho em fazer deste um grande dia".

 

A agência informou que vários parceiros europeus, incluindo o Centro Nacional de Estudos Espaciais da França (CNES) e o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), apoiaram a missão InSight. Além da França e Alemanha, Reino Unido, Suíça, Polônia e Espanha também forneceram equipamentos e tecnologia para a missão. 



publicidade:

publicidade:

publicidade: