Carreira & Educação

Carreira de Digital Influencer desperta interesse de jovens brasileiros

Somente a Squid, uma das maiores plataformas voltadas para os micro, possui atualmente mais de 50 mil influenciadores cadastrados. Por terem um engajamento maior e serem mais baratos para as empresas, os microinfluenciadores são uma forte tendência de mercado.

Hoje, 74% dos consumidores se orientam por meio de suas redes sociais para realizar uma compra, de acordo com estudo realizado pela Sprout Social, e, segundo a Nielsen, 84% dos consumidores tomam decisão com base nas opiniões de fontes confiáveis como os influenciadores digitais. Além disso, de 2016 para 2017, o tempo gasto pelos brasileiros na internet dobrou, de 8 horas semanais para 16 horas semanais. De olho nesses dados, as empresas apostam forte nos influenciadores.

No meio desse turbilhão de informações e desejos, que vem na grande maioria por meio de telas de celulares e computadores, surgem cada vez mais pessoas com perfil empreendedor e habilidades de influenciar outras pessoas. Estas, acabaram fazendo dessa habilidade e poder de influenciar outras pessoas uma nova profissão e opção de carreira, que é o digital influencer. Vejo o momento do influenciador digital como uma grande sacada e oportunidade para aqueles que querem se destacar e ter uma carreira de sucesso, com a grande visibilidade das mídias sociais isso fica ainda mais em evidencia se o mesmo tiver talento e chamar atenção do seu público convertendo isso em cifras.

Entre milhares de Digitais Influencers no Brasil, um deles é o “Leo Marques”. Iniciou sua carreira com apenas 15 anos na cidade de Inhambupe, interior da Bahia, Léo Marques sempre teve afinidade com o mundo do entretenimento. Começou enviando criações para alguns artistas baianos como Duas Medidas, Kart Love e André & Mauro, até que teve a oportunidade de se mudar para Salvador aos 17 anos. Seu talento chamou atenção dos artistas como Aviões, Léo Santana, Tomate, Adelmário Coelho, Limão com Mel, Katê, Dan Valente, Forró do Tico, entre outros, que viraram clientes do rapaz.

Hoje Leo Marques reúne mais de 837 mil seguidores na rede social e já foi divulgado no Instagram de ícones como Carlinhos Maia e Tirullipa – com quem gravou o quadro “As Amigas”, e tem entre os seus seguidores os artistas Claudia Leite, David Brazil, Lucas Lucco, Léo Santana, Solangee Almeida, Mário Victor (Psirico), GKay, Erasmo Viana, entre outros. Leo também tem participado de clipes de algumas bandas, como Psirico, Kart Love, La Fúria, Lincoln & Duas Medidas e Raylan Sapalácio.

“Aqueles que querem seguir a carreira devem se profissionalizar. Antes de uma boa imagem, o influenciador digital deve trabalhar com ética, responsabilidade e respeito pelos seus seguidores. É importante selecionar os trabalhos, pesquisando a origem dos produtos e serviços a serem divulgados”.

Profissionalizar-se é preciso

Foi o que percebeu a Leo Marques. Ao estudar marketing digital, o diferencial de suas redes é o alto engajamento da comunidade.“Percebi que, com técnicas de comunicação e de marketing digital, era possível crescer rápido e com ética. Principalmente quando comecei, infelizmente, muita gente comprava seguidores e isso queimava o nome “influenciador digital”. Percebi que eu poderia ensinar o meu método para outras pessoas e ajudar a profissionalizar esse mercado”.

Quanto é possível ganhar como influenciador?

Um micro influenciador pode começar ganhando entre R$ 2 mil e R$ 10mil por mês. Tudo depende da performance e da capacidade empreendedora do influenciador, claro.

Recentemente, a revista Forbes divulgou que um grande influenciador no Brasil ganha, em geral, entre R$ 50 mil e R$ 150 mil por campanha no YouTube ou Instagram, onde estão os maiores faturamentos. A campanha pode incluir, além de menção em vídeo, posts nas redes sociais. Além de digital influencer podemos aprender como funciona esse mundo e como isso pode se tornar uma profissão, o importante é se profissionalizar e entender seu público.


Talvez você também goste