Comportamento

Gestante: saiba tudo sobre os cuidados pré e pós-nascimento do bebê

Freepik

A obstetra Lilian de Paiva Rodrigues Hsu selecionou alguns hábitos que devem fazer parte da rotina da gestante nos próximos nove meses e depois deles também. Confira:

Pré-natal: construindo o cuidado semana após semana

 Alimente-se bem: gestantes bem nutridas geram bebês bem nutridos

Durante a gestação é importante que a mulher consuma por dia cerca de 6 a 11 porções de carboidratos; 3 a 5 porções de vegetais; 2 a 4 porções de fruta; 2 a 3 porções de proteínas. Gorduras, óleos e açúcares devem ser ingeridos com moderação.

  • Vitaminas e suplementos são aliados da boa saúde da mãe e do bebê

Dentre os suplementos que são fundamentais para a gestante destacam-se o metilfolato, cálcio, vitamina C, ferro e ômega-3, além da vitamina D para as gestantes que tenham baixa dosagem no organismo. É importante que a grávida procure orientação médica para se assegurar da dosagem correta.

  • Mexa-se: atividade física na gravidez não só pode como deve!

A atividade física não é só uma questão estética; durante a gestação a mulher não só pode, mas deve fazer práticas esportivas durante 30 minutos, de 3 a 5 vezes por semana.  A constância ajuda a dar mais disposição, diminuir o inchaço, enjoo e as dores nas costas e articulações. Mas, quais exercícios são mais indicados para a condição? Pilates, Natação, Alongamento, Ioga, Dança, além de Musculação e CrossFit são recomendados, desde que com cargas mais leves. Porém, lembre-se: a atividade física deve ser supervisionada sempre que possível, por um educador físico.

  • Vacine-se. Mas, atenção!

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm), durante a gravidez são recomendadas três principais vacinas: Tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche – dTpa): que protege a gestante e evita que ela transmita a Bordetella pertussis ao recém-nascido; a Hepatite B: recomendada para todas as gestantes e a Influenza (gripe): já que gestante faz parte do grupo de risco para complicações da infecção pelo vírus influenza.

Em situações especiais são recomendadas Hepatite A, A e B, Pneumocócicas, Meningocócicas conjugadas ACWY/C, Meringocócias B e Febre Amarela.

Fique ligada: existem também as contraindicadas: tríplice vital (Sarampo, Caxumba, Rubéola), HPV, Varicela (Catapora) e Dengue. Exceto a vacina da Dengue, todas podem ser pode ser aplicada no pós-parto e durante amamentação. A vacina da Dengue é contraindicada em mulheres soronegativas; que estejam amamentando e imunodeprimidas.

 

  • Check- up é fundamental

O médico poderá solicitar exames como: Colesterol; Triglicérides; Fator Rh; Glicose; Doenças Sexualmente Transmissíveis, como HIV, Clamídia, Sífilis e Gonorreia; Herpes; Rubéola; imunidade à Catapora; Tireoide;  Anemia e doenças genéticas.

Puerpério: e após o nascimento do bebê, como ficam os cuidados?

Após o parto a mulher precisa ser acompanhada por um obstetra para se certificar se está ocorrendo uma boa recuperação. O especialista pode solicitar exames se achar necessário, principalmente para mulheres que tiveram complicações durante a gravidez.  A mulher precisa estar atenta também se há suspeita de sobrepeso e continuar se alimentando bem, uma vez que ainda há vínculo entre sua alimentação e a do bebê. Alguns nutrientes, como os ácidos graxos EPA e DHA , que compõe o ômega 3, são absorvidos pelo bebê por meio do leite materno.

O retorno à atividade física de rotina pode ocorrer entre 40 a 90 dias para mulheres que tiveram parto cesárea ou cesariana e após 15 dias para partos normais. Respeite os dias de afastamento. Voltar a praticar atividade física antes da liberação do seu médico pode causar lesões, já que seu organismo ainda está voltando ao normal. É importante também que em ambos os casos a prática física seja moderada. Atividades de alta intensidade podem impactar na quantidade de leite materno.

“Não deixe de praticar alguma atividade, emocionalmente ela fará diferença no seu dia a dia, já que será um tempo dedicado só para você. O Pilates é uma boa opção para o retorno”, finaliza a especialista.