Moda & Beleza

No inverno os cuidados com a pele não podem parar

Foto: Divulgação

No inverno, a falta de umidade no ar, ventos e baixa temperatura ressecam a pele e isso requer um cuidado maior com ela, principalmente, em termos de hidratação. Apesar de no Brasil o inverno ser ameno e rápido, as pessoas tendem a se acomodar nos cuidados com a pele durante esta estação.

No entanto, o ressecamento e falta de umidade no ar absorve a umidade natural do corpo, que sofre com o tempo mais frio, além disso, a estação está mais propicia a ter poeira e poluição, em função das temperaturas baixas e baixa umidade do ar. Por isso, é importante o uso diário de cremes hidratantes e nutritivos.

Adélia Mendonça, especialista em dermocosméticos de alta performance, sendo pioneira no Brasil nas áreas de estética íntima e skincare de alto percentual ativo e fundadora da Adélia Mendonça Cosméticos, explica que no Brasil a tendência é que as pessoas não cuidem da pele no inverno. “O frio deixa as pessoas com mais preguiça, querem ficar mais tempo na cama e acabam saindo correndo sem fazer os devidos tratamentos mínimos necessários como higienizar a pele e usar cremes hidratantes após o banho. E como a pele está coberta, devido ao frio, acabam pensando que ela não está sofrendo. Mas, a pele fica mais ressecada, craquelada e, até mesmo, com um aspecto mais acinzentado por conta da falta de umidade e hidratação”, aponta.

Problemas futuros
A negligência de não cuidar da pele em função do clima frio têm consequências até mesmo quando o verão chega. Quando a pele desvitaliza com a falta de umectação no inverno, esse problema irá se estender por muito tempo com esse dano até ela recuperar de novo. A pele pode ficar craquelada, flácida, com menos viço, vigor e elasticidade. Tudo consequência da falta de nutrição e hidratação no período frio.
Adélia Mendonça lembra que em países com o clima mais frio esse cuidado já é um hábito diário. “Na Europa, por exemplo, com países de clima frio, eles já têm essa necessidade culturalmente e obrigação de estar cuidando todo o tempo da pele. Eles possuem peles mais secas, finas e homogêneas, por isso, os europeus já têm como hábito cuidar da pele diariamente, as compras com produtos cosméticos para a pele fazem parte, até mesmo, de listas de supermercado”, comenta.
No Brasil, devido ao clima mais tropical, o brasileiro, muitas vezes, não tem esse cuidado diário. No entanto, ele deve entender que etnia miscigenada e uma grande predisposição de manchar as peles e o cuidado deve ser feito constantemente e não apenas no verão quando a pele está à mostra.

Banhos quentes
Também, no frio, há uma tendência de os banhos serem mais quentes e demorados, o que também causa danos à pele. Adélia Mendonça aconselha que os banhos sejam mornos e mais rápidos. “Não é necessário buchas para esfregar o corpo. Até mesmo sabonetes são recomendados apenas para as áreas principais do corpo como axilas, área íntima, pés, que segregam mais. As outras partes do corpo não precisam da fricção com bucha e sabonete para ter uma limpeza completa, com exceção de pessoas que trabalham em locais muito poluído, como usinas, por exemplo”, explica.

Cosmetologia avançada
Por isso, com os avanços da indústria de cosméticos, hoje já existem ativos nanotecnologicos que atingem camadas mais profundas da pele, onde ocorrem as disfunções. Então esse cosmético direcionado chega no alvo profundo para refletir em uma pele saudável. Já que toda nossa pele é coberta por um manto hidrolipídico proteico (manto- pele; hidro – água; lipídico – óleo; proteico – proteção). A junção desses ativos tecnológicos incorporados nos cosméticos ajuda a preservar a umidade do manto hidrolipídico proteico e fazer essa proteção de uma forma saudável.


Talvez você também goste