Saúde & Bem-estar

Mitos e Verdades sobre os rins

 

Foto: Divulgação

Os rins são órgãos vitais que precisam funcionar corretamente para a boa saúde do organismo. São responsáveis por filtrar todas as impurezas do corpo, controlar a pressão arterial e ainda produzir hormônios e vitaminas para o organismo.

O mau funcionamento dos rins pode levar a Doença Renal Crônica. Estima-se que 850 milhões de pessoas no mundo tenham doenças renais de várias causas. Essa patologia pode acometer qualquer pessoa, de qualquer idade ou sexo e entre as doenças mais comuns estão: cálculos renais (pedra nos rins); infecção renal ou pielonefrite; cistos renais; tumores ou câncer de rim e, em casos mais avançados e graves, a insuficiência renal.

Dr. Marcos Alexandre Vieira, médico nefrologista e presidente da Fundação Pró-Rim – referência nacional em tratamento e transplantes renais – listou alguns Mitos e Verdades sobre esse órgão. Confira!

A cor da urina pode indicar problema nos rins.

VERDADE – A mudança de cor, volume ou odor podem indicar alguns sinais de alerta. A cor normal da urina é amarela clara. A urina laranja pode indicar falta de água ou pigmentos de comida. Se persistir, pode ser problemas de fígado ou na vesícula. Já a urina vermelha, se persistente, pode indicar problemas no fígado, rim, próstata, infecção ou ainda um tumor. Problemas de desidratação severa tende a deixar a urina na cor castanha ou marrom. Importante dizer que o consumo de alguns alimentos (como a beterraba, por exemplo), corantes e até a quantidade de água ingerida podem interferir na coloração da urina. Um simples olhar pode prevenir doenças sérias como uma insuficiência renal, por isso, é importante consultar um médico e realizar exame para descartar qualquer problema.

Quanto maior a ingestão de água, melhor.

MITO – Existe uma quantidade certa de ingestão de líquidos e isso depende de pessoa para pessoa, o que varia de acordo com peso. O recomendado é ingerir em cerca de 35 mililitros (ml) por quilo (kg). Isso significa que uma pessoa que pesa 70kg deve beber em torno de 2.450ml de água por dia. Para pessoas que apresentam doença renal crônica devem seguir orientação médica e nutricional sobre a quantidade permitida de ingestão de líquido, evitando edemas (inchaço) ou sobrecarregando os rins.

Alimentação equilibrada contribui para a saúde renal.

VERDADE – Alimentação saudável e balanceada contribui para o bom funcionamento dos rins e de todos os órgãos do corpo humano. As refeições devem sempre ter vegetais, fibras, vitaminas e alimentos integrais. As refeições hipercalóricas (com molhos gordurosos e frituras), além de influenciar no ganho de peso, podem resultar no aparecimento de doenças crônicas como diabetes e hipertensão, que em longo prazo, pode levar a uma doença renal. Evitar o consumo de alimentos refinados como farinha branca e doces e, claro, moderar a quantidade de sal.

Hipertensão, obesidade e diabetes aumentam o risco de doença renal.

VERDADE – Essas doenças são os principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença renal crônica.

Homens estão livres das infecções do trato urinário.

MITO – A ocorrência de infecções urinárias é mais frequente nas mulheres, por uma questão anatômica. Mas os homens não estão livres de ter infecções no trato urinário. A estimativa é que para cada dez casos de cistite, um ocorra em homens.

Chá de quebra-pedra combate pedras nos rins.

MITO – Embora seja um fitoterápico, não há embasamento científico suficiente para considerar que o chá combate este problema.

 Excesso de sódio pode provocar cálculo renal.

VERDADE – O consumo excessivo de sal, de alimentos embutidos, refrigerantes e outros que contenham alto teor de sódio podem favorecer o aparecimento do cálculo renal. O sódio em excesso pode fazer com que a excreção de cálcio na urina resulte no acúmulo de pequenos cristais nos rins. Para evitar o surgimento de pedras nos rins a combinação de alimentação saudável e ingestão de água são indicados.

 Consumir vitamina C em excesso aumenta a probabilidade de cálculo renal.

VERDADE – A vitamina C é muito benéfica para o organismo, mas seu consumo deve ser balanceado. A vitamina C, ao ser metabolizada pelo fígado, produz oxalato de cálcio, o que pode levar ao surgimento de pedra no rim.

 Quem tem cálculo renal não deve consumir leite.

MITO – Não é recomendando diminuir a ingestão de alimentos ricos em cálcio, como o leite, visando evitar a formação de cálculos. Além do cálcio, os cálculos renais possuem outros elementos em sua composição. Reduzir ou aumentar a ingestão de cálcio pode causar desequilíbrio entre esses elementos aumentando ainda mais o risco de formação desses cálculos.

 Ir muitas vezes ao banheiro durante a noite, pode ser um sinal de doença renal.

VERDADE – Acordar várias vezes à noite para urinar pode ser um alerta sobre o funcionamento dos rins. Além desse sintoma, outros sinais que podem indicar que você está com a doença renal são: urina espumosa ou com presença de sangue; inchaços no corpo; dores nas costas, perda de apetite, náuseas e vômitos. Tendo esses sintomas procure um médico para a avaliação dos seus rins.

Para finalizar, Dr. Marcos alerta que a saúde renal é essencial em todas as fases da vida e que a prevenção da doença renal crônica deve começar ainda na juventude. “Quanto maior for o cuidado, menores serão as chances de o paciente precisar passar por intervenções como hemodiálise e transplante”, finaliza.

Leave a Comment

Your email address will not be published.


Talvez você também goste