Comportamento

Sororidade: a importância da união entre mulheres

Foto: Reprodução/Divulgação

Mais do que comemorar o Dia Internacional da Mulher, o mês de março sintetiza o poder feminino na sociedade, tolerância social e a luta por seu espaço no mercado de trabalho e principalmente, por seus direitos. A nova onda de engajamento por parte de internautas nas redes sociais e o crescente número de movimentos sociais contribuíram para que a prática da cumplicidade e solidariedade entre mulheres ganhasse uma nova expressão, a sororidade.

De acordo com a psicóloga Sarah Lopes, do Hapvida Saúde, este sentimento está cada vez mais difundido por mulheres através do pensamento de união que a internet proporciona. “Sororidade é um conceito que prevalece a união entre as mulheres, para que possam se somar e lutar pela igualdade de gênero. Este conceito leva em consideração a empatia que significa se colocar no lugar da outra mulher sem julgamento”, explica.

A concepção de que o sexo feminino está sempre competindo e que não existe amizade sincera foi construída como uma crença social e surge como um ensinamento desde a infância. A sororidade busca desconstruir esta ideia, para reduzir o julgamento entre as mulheres e o clichê de adversárias. “Precisamos estar atentos às limitações e também aos sentimentos, pois, ao ter empatia, percebe-se que é a forma como a pessoa vê o mundo”, enfatiza.

A especialista reforça que é fundamental praticar o companheirismo para viver melhor em coletividade. “Para que se conquiste algo é preciso a união. As mulheres mesmo com suas conquistas ainda fazem parte de um grupo que luta por mais direitos. Então, quando se pratica a sororidade, a luta pela melhoria se torna menos árdua e mais eficaz” declara.

Além das mulheres, é importante que todos pratiquem a empatia. Para que os casos de homofobia, machismo, racismo, xenofobia e tantas outras manifestações de ódio diminuam. Respeitar o próximo é um dever de todos.


Talvez você também goste