Campeonato Brasileiro

Corinthians tenta, mas não entrega regularidade

Corinthians tenta, mas não entrega regularidade - 1

​Corinthians e ​Goiás se enfrentaram ontem, no Serra Dourada, em partida válida pelo Brasileirão. Para além do resultado, um 2×2 meio controverso, o placar significa que Fábio Carille ainda tem muito o que melhorar, mas que respira aliviado pelo menos até sábado, quando enfrenta o ​Cruzeiro.

Há muitas rodadas os torcedores do Timão não assistem aos comandados de ​Carille fazendo um jogo regular do início ao fim. Ainda não foi contra o Goiás que isso aconteceu, mas em razão das circunstâncias, é fato que o time mostrou um melhor futebol, comparado com atuações vexatórias nas últimas semanas. Pena que não durou muito.

Logo no primeiro tempo, os jogadores deixaram a torcida sonhar com uma atuação de gala. Aos 10 minutos, Janderson abriu o placar. A euforia do Corinthians, porém, durou pouco: em um belíssimo gol, Michael marcou para o Goiás.

Fabio Carille

Entretanto, a alegria da torcida, que fez bonito no Serra Dourada, não cessou. O time demonstrava uma postura ofensiva e as mudanças pontuais no elenco contribuíram para isso: Carlos Augusto, Bruno Méndez, Janderson e Gustagol foram novidades que surtiram efeito no plantel de jogadores de Carille.

Com o início do segundo tempo, o time parecia outro. Com a mesma postura defensiva que tem adotado na maioria dos jogos desse ano – e que não demonstra resultados positivos – a torcida assistiu o Goiás ditar o ritmo da partida. A estratégia de trabalhar com a defesa até que funciona às vezes, principalmente quando o ​Cássio está inspirado. Não foi o caso de ontem. O goleiro fez uma partida apagada e, aos 25 minutos do segundo tempo, viu Leandro Barcia cabecear para dentro do gol. Não tirando os méritos do atacante, mas o camisa 12 do Timão costuma defender esse tipo de bola.

Corinthians v Athletico PR - Brasileirao Series A 2019

Para completar um segundo tempo apagado, Carille voltou ao conformismo de sempre e se apoiou nos jogadores veteranos. Na reta final, chamou Vagner Love, Jadson e Régis para tentar correr atrás do placar. O técnico, que ultimamente tem sido alvo de crísticas, ontem, fez substituições interessantes, visto que precisou encontrar uma solução e resolver os prejuízos  dados por Carlos Augusto e Sornoza. 

Mais uma vez, ​Boselli não ganhou chances com o treinador. Pelo visto, o que resta para o argentino é torcer pelo fim da temporada e procurar novos ares. Enquanto Carille continuar, provavelmente o atacante não terá mais do que meros 25 minutos em campo.

Encaminhando para o final da partida, o Timão estava uma verdadeira bagunça tática. Porém, para o alívio de Carille, o empate veio em um lance contestado. E com razão. A disputa no alto entre Gil e Dudu, que terminou com a bola batendo no braço do jogador do Goiás, foi um lance interpretativo, que se o árbitro não considerasse pênalti, também estaria dentro dos conformes. Mas, com o auxílio do VAR, a penalidade máxima foi marcada. Melhor para o Corinthians que permanece na quarta colocação.

O melhor jogador da partida de longe foi Michael. Nem mesmo a expulsão após uma falta violenta cometida em cima de Régis foi o suficiente para apagar o brilho do atacante que saiu aplaudido pela torcida. Pelo lado do Corinthians, Mateus Vital fez uma partida primorosa para manter o esquema tático do clube. Apesar de não receber os elogios, que se voltaram com razão, para Janderson, o meia-atacante contribuiu como nenhum outro para o time.

O gosto do empate, para o Timão, não é bom. Os momentos em que o time parecia deslanchar,não foram suficientes para encobrir a estratégia ultrapassada que Carille insiste em usar. Lutar para não perder é muito pouco para um time como o Corinthians e a torcida sabendo disso, aguarda não tão pacientemente, um jogo regular. Do início ao fim, por favor.

Fonte: 90min


Talvez você também goste