Campeonato Brasileiro

Do futebol a Jake Daniels: um manifesto de coragem, pertencimento e grandeza

Eu odeio que tive que mentir durante toda a minha vida por sentir necessidade de me encaixar. Quero ser um exemplo agora fazendo isso. Há outras pessoas pelo mundo que vivem uma situação parecida com a minha e não se sentem confortáveis em revelarem sua sexualidade. Só quero dizer a eles que vocês não precisam mudar quem vocês são, ou a maneira como vocês agem, para se encaixarem. Você ser você mesmo, e ser feliz assim, é o que mais importaJake Daniels

Caro Jake Daniels,

Ouvi falar muito de você nos últimos dias. Como sabe, tenho um apreço profundo pelos corajosos. Não só com a bola nos pés, digo. Driblar, pedalar, dar caneta, golear é tudo resultado de prática, talento e às vezes até um pouco de sorte. Agora ter a verdadeira coragem… é para pouquíssimos. A maioria prefere se esconder atrás de estatísticas conquistadas em 90 minutos.

Às vezes me pergunto: será que eles não entendem o papel que têm? Ou será que é só mais cômodo simplesmente não se importar? Para alguns realmente é, e você mais que ninguém sabe disso, certo? Ao longo dos anos, vi heróis serem forjados, bad boys ganharem status de estrela, e agressores serem endeusados em nome de grandes feitos.

Do futebol a Jake Daniels: um manifesto de coragem, pertencimento e grandeza - 1
Jake Daniels recebeu apoio de clubes da Premier League | David Rogers/GettyImages

Mas também vi o político surgimento das mulheres no esporte. Isso tendo de superar barreiras legislativas e preconceitos diários em busca do mais básico reconhecimento profissional. A frase dita, embora esteja no passado, não poderia ser mais atual. A luta nunca termina. É impossível separar a sociedade das quatro linhas. Mas alguns seguem tentando.

E, por último, vi você surgir. Raro. Raríssimo. Pronto para travar batalhas que mais da metade dos seus companheiros não conseguiriam. Pronto para enfrentar a desaprovação de pessoas que sequer precisariam te aprovar. Pronto para ouvir críticas de cunho pessoal em cada tropeço esportivo. Você sabe que tudo vinha no pacote. Eu sei que sabe.

Mas você está pronto. A escolha mais fácil talvez fosse renunciar seu direito de expressão e escolher o silêncio. Mas seria muito fácil deixar eles vencerem, certo? Hoje, eu queria te prometer justiça, compreensão, amor e liberdade. Num mundo ideal quem sabe. A realidade, Jake, é infinitamente mais cruel. Mas você chegou longe demais para deixar os bastardos te desanimarem agora.

A rota será árdua, mas as recompensas serão grandiosas. Dentro de 90 minutos, dá para sentir tudo, não é? A exasperação do lance malsucedido, a euforia do gol, o arrepio nos pelos do pescoço ao entrar em campo e o peso nos ombros da responsabilidade. A glória das conquistas serão eternas. Assim como você.

Se tudo correr bem, você terá uma carreira longa, próspera e repleta do esporte em sua totalidade. Seus obstáculos, no entanto, serão diferente dos seus companheiros. Você vai ouvir que não pertence, que não pode e que não é. Eles não poderiam estar mais errados. Não há nada mais futebol do que a coragem de fazer história. E eu digo isso com propriedade.

Com amor (!),
Futebol.


A carta que você acabou de ler é parte de um projeto do 90Min Brasil de diversidade e inclusão. Aqui, você encontra outros materiais semelhantes.

Fonte: 90min