Campeonato Brasileiro

Raí cobra elenco e Diniz terá avaliação mais rigorosa; São Paulo monitora mercado

Raí cobra elenco e Diniz terá avaliação mais rigorosa; São Paulo monitora mercado - 1

​A semana no ​São Paulo foi “desastrosa”. Raí, diretor-executivo de futebol do clube, definiu dessa forma os dois últimos jogos do Tricolor Paulista, que, neste domingo (10), acabou derrotado por 1 a 0 para o Athletico-PR. Na última quarta-feira (06), a equipe comandada por Fernando Diniz já havia decepcionado seus torcedores com revés de 2 a 0 para o Fluminense. Com os dois reveses em casa, o time saiu do G-4 do Campeonato Brasileiro e tem sérias chances de ver o Grêmio, hoje quarto colocado, abrir vantagem em caso de triunfo sobre a vice-lanterna Chapecoense.

 

Os péssimos resultados exatamente na reta final do Brasileirão fizeram a torcida do São Paulo perder de vez a paciência. Após o jogo contra o Athletico, vários membros da principal uniformizada do clube se dirigiram à frente do portão principal do Morumbi para protestar contra o elenco e Diniz. Pressionado também no cargo, Raí compareceu à zona mista para tentar amenizar o ambiente conturbado. O ídolo do clube revelou que haverá mais cobranças a todos pela má sequência, principalmente diante do seu torcedor.

 

Jorge Sampaori

 

“A semana foi desastrosa. Não podemos nunca aceitar o São Paulo nessa situação. Nunca vai poder aceitar isso. Sem conformismo. Tem cobrança interna, como tem da torcida. Felizmente, ainda estamos em quinto (na tabela). O trabalho tem sido bem feito, o resultado virá e virá rápido”, assegurou o dirigente, que também está correndo risco de demissão. O jornalista Alex Muller, dos canais Esporte Interativo, informou durante a semana que Raí enfrenta forte resistência de grande parte do Conselho Deliberativo.

 

Diante dos jornalistas, Raí enfatizou que não pensa em deixar o comando do departamento de futebol do São Paulo e nega que pense em demitir Diniz. “Estou satisfeito com o dia a dia. Está cobrando os jogadores, buscando mudanças. Isso vai surtir efeito. Essas derrotas são coisas que acontecem no futebol. Mas a avaliação do trabalho dele não é só dessa semana. Temos que ver tudo o que erramos (…) Conversei com Diniz, comissão e vamos conversar com os jogadores também. Não penso em nada disso do meu contrato. Prioridade e foco total no trabalho, dia a dia, cobrança por um final de ano digno”, explicou. 

 

 

Nos bastidores do São Paulo, já corre a informação de que Jorge Sampaoli é um nome bem interessante para ala do Conselho, principalmente pelo ótimo trabalho no Santos. Diniz tem vínculo CLT até dezembro e, em caso de más atuações no final do Brasileirão – principalmente se ficar fora da Libertadores -, nova mudança de comando deve ocorrer no Morumbi. Vale lembrar que o comandante argentino ainda não sabe se permanecerá na Vila Belmiro em 2020 por desavenças com o presidente José Carlos Peres. 

Fonte: 90min


Talvez você também goste