Campeonato Brasileiro

Rodrygo e a bola que não entra por acaso

Rodrygo e a bola que não entra por acaso - 1

FBL-LIBERTADORES-SANTOS-NACIONALURU

​Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, é o que dizem por aí. Mas no caso da base do ​Santos não é bem assim. A mais nova estrela desta interminável fornalha chamada “Meninos da Vila” aos poucos tem conquistado também o coração do Real Madrid. Lance a lance, gol a gol, Rodrygo é o que os merengues têm de mais concreto na esperança por dias melhores. E ele vem correspondendo às expectativas.

Diante do Galatasaray, em poucos minutos, o “Rayo” já tinha balançado a rede duas vezes. Terminou a partida com três dos 6 gols madrilenhos na goleada em pleno Santiago Bernabéu. É cedo para falar em consagração de um menino de apenas 18 anos, mas a certeza é de que ele vem pavimentando um caminho em que faz por merecer o sucesso de momento.

 

Rodrygo

 

A admiração a Rodrygo vai além das quatro linhas. A imprensa espanhola e os torcedores madridistas se espantaram com tamanho profissionalismo do jovem. Logo em sua primeira entrevista pelo Real, o atacante se arriscou no idioma e desde então recebeu elogios diversos. Mais do que aumentar a sua capacidade de comunicação, fazer aulas particulares de espanhol desde os tempos de Brasil sinalizou ao seu novo clube o tamanho do comprometimento que ele tem com a instituição. Se Rodrygo sempre disse que era um sonho de criança estar ali, seus atos também fizeram por condizer com as frases. Todo empenho tem gerado frutos, até cedo demais, o que há se ter cuidado também.

 

 

Seus gols cada vez mais frequentes vêm trazido à tona também uma comparação com Vinícius Júnior que não é nada sadia. São duas joias do Brasil e do Real Madrid, ainda em fase de lapidação. Enaltecer o amadurecimento de um não implica em achar que o outro não presta. É muito longe disso. O grande ponto da questão é que Rodrygo, ​tal qual Gabriel Martinelli no Arsenal, já demonstrou que tem a mentalidade focada em fazer sucesso na Europa e no futebol como um todo. O talento, ele sempre teve. A cabeça, no entanto, é o que vem lhe colocando numa prateleira diferenciada rumo à glória. E isso não acontece por acaso.

Fonte: 90min


Talvez você também goste