Futebol

Despesa do São Paulo com ex-diretor supera salário de grande joia do elenco

Despesa do São Paulo com ex-diretor supera salário de grande joia do elenco - 1

Antes exemplo de estrutura e gestão no futebol brasileiro, o ​São Paulo vive temporada difícil dentro e fora das quatro linhas. Sem alcançar metas esportivas pré-estabelecidas e sem conseguir negociar jogadores, ​o clube paulista se vê em situação financeira delicada, já resignado de que fechará 2019 no vermelho. As dívidas têm se acumulado nos últimos anos, de origens variadas e que causam arrepios ao torcedor tricolor.

Centurion

 

​​De acordo com a apuração do ​UOL Esportes, o Tricolor Paulista gasta cerca de R$ 350 mil por mês para a quitação de um empréstimo realizado junto a um ex-dirigente do clube, Vinícius Pinotti: quando este ainda era sócio são-paulino, em 2015, emprestou a quantia de 4,2 milhões de euros (R$ 12,7 milhões na cotação da época) para que o Soberano fechasse a contratação do atacante Ricardo Centurión por quatro temporadas. O arranjo foi firmado pelo presidente do clube à época, Carlos Miguel Aidar.

 

Estima-se que o aporte de Vinícius para sacramentar a transação tenha chegado aos R$ 19 milhões, por conta de outros gatilhos no acordo. Em 2017, o então sócio tornou-se diretor de futebol na gestão Leco e o débito entre as partes foi renegociado, com juros/correções: 60 parcelas a serem quitadas até o final do ano de 2021A título de comparação, o pagamento mensal de R$ 350 mil ao ex-diretor que deixou o departamento de futebol ao final de 2017 por conta de desgastes com a alta cúpula tricolor -, é superior aos vencimentos atuais do jovem Antony, principal joia do elenco tricolor.

 

Antony

Fonte: 90min