Futebol

Organizada do Cruzeiro invade CT e protesta contra elenco; Abel faz desabafo a torcedores

Organizada do Cruzeiro invade CT e protesta contra elenco; Abel faz desabafo a torcedores - 1

​A situação no ​Cruzeiro no Campeonato Brasileiro vai de mal a pior a cada rodada. Os problemas extracampo invadiram as quatro linhas e o time não consegue mais vencer. Na última segunda-feira (30), a Raposa acabou derrotada pelo Goiás por 1 a 0, com gol de Alan Ruschel na estreia de Abel Braga no comando técnico. Os mineiros não ganham há cinco partidas e estão mergulhados na zona de rebaixamento.

Faltando 16 rodadas – 48 pontos por disputar – para o término do Brasileirão, a Raposa se encontra em 17º lugar, com apenas 19 pontos. Um aproveitamento pífio de 29%, o pior do clube em toda a história do torneio em pontos corridos. O sério risco de descenso fez com que cerca de 30 integrantes da torcida organizada Máfia Azul quebrassem o portão da Toca da Raposa II e invadissem o CT na tarde desta terça-feira (01). 

 

 

Os torcedores do Cruzeiro soltaram foguetes no local e exigiram uma conversa com o elenco e Abel. No momento da invasão, somente os reservas estavam treinando em campo, porém os titulares contra o Goiás, que estavam fazendo trabalhos internos na academia, saíram também para o gramado. A Polícia Militar (PM) foi acionada pelo clube e retirou todos os integrantes da uniformizada. Todos foram revistados e somente três entraram para conversar com os atletas. 

O restante da Máfia Azul ficou do lado de fora, onde foram abordados por Abel“Eu não pego trabalho no meio e vim para cá porque confio e gosto desse time. Me deem um crédito que o vamos sair dessa”, pediu o treinador aos torcedores. O diálogo foi repassado pelo ​jornalista Samuel Venâncio, da rádio mineira Itatiaia. Foi apenas o terceiro dia de Abelão à frente do Cruzeiro. 

 

 

 

Os protestos da torcida contra o grupo de jogadores começou de manhã no desembarque da delegação do Cruzeiro após a derrota para o Goiás. No aeroporto de Confins, os jogadores foram hostilizados, principalmente o meia Thiago Neves e o zagueiro Dedé, pivôs da demissão de Rogério Ceni na última semana. Os únicos que passaram “ilesos” foram o volante Henrique e o goleiro Fábio. 

Fonte: 90min


Talvez você também goste