Futebol

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 1

​No próximo sábado (23), Flamengo e River Plate adentrarão o Estádio Monumental de Lima, no Peru, para decidir quem será o grande campeão da​ Copa Libertadores 2019. O grande embate entre o atual campeão e a principal força do nosso futebol nesta temporada promete ser mais uma daquelas decisões memoráveis entre Brasil x Argentina, cercadas de tensão e rivalidade. Nós, da 90min, relembramos todas as 14 finais entre clubes brasileiros e argentinos na história da competição… O retrospecto, infelizmente, é favorável aos ‘hermanos’:


Santos x Boca Juniors (1963) – Santos campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 2

 

A primeira decisão entre brasileiros e argentinos ocorreu em 1963, logo na quarta edição do torneio. Dono de um verdadeiro esquadrão à época, o ​Santos de Pelé não deu chances para o Boca Juniors, vencendo na ida por 3 a 2 (em casa) e a volta por 2 a 1 (fora).


Palmeiras x Estudiantes (1968) – Estudiantes campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 3

 

Foram quatro edições consecutivas sem uma equipe brasileira na decisão, até o ​Palmeiras do artilheiro Tupãzinho romper este pequeno jejum. O resultado final, no entanto, não foi feliz para os paulistas: o Estudiantes venceu o ‘jogo desempate’ por 2 a 0 e sagrou-se campeão.


São Paulo x Independiente (1974) – Independiente campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 4

 

Um clube brasileiro só reapareceu em uma final em 1974, em mais um pesado confronto Brasil x Argentina. Dono de um ataque poderoso – o melhor do torneio -, o ​São Paulo chegou a vencer o primeiro jogo da final, mas perdeu fora de casa e também foi superado no desempate.


Cruzeiro x River Plate (1976) – Cruzeiro campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 5

 

Foram treze anos de espera para que um clube de nosso país voltasse a erguer a Libertadores, desde o Santos de Pelé. O dono do feito é o Cruzeiro, que fez final muito parelha com o River, mas levou a melhor no ‘jogo desempate’ disputado em Santiago (3 a 2).


Cruzeiro x Boca Juniors (1977) – Boca campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 6

 

Possivelmente uma das finais mais parelhas da história da competição: O ​Cruzeiro venceu o Boca no Mineirão por 1 a 0, placar devolvido pelos argentinos na Bombonera. Um novo empate no terceiro e último jogo levou a decisão aos pênaltis, com os xeneizes vencendo por 5 a 4.


Grêmio x Independiente (1984) – Independiente campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 7

 

​Grêmio chegava à final com status de atual campeão, por ter vencido de forma categórica a edição de 1983. Mas o forte Independiente, hoje conhecido como ‘Rei de Copas’, não quis nem saber disso: venceu por 1 a 0 fora de casa e segurou o 0 a 0 na Argentina.


São Paulo x Newell’s Old Boys (1992) – São Paulo campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 8

 

O Tricolor Paulista viria a ter sua revanche contra um argentino 18 anos após seu vice para o Independiente. A final contra o Newell’s, no entanto, foi parelha: uma vitória pra cada lado por 1 a 0 e decisão nas penalidades, onde o time brasileiro acabou prevalecendo (3 a 2).


São Paulo x Vélez Sarsfield (1994) – Vélez campeão

 

Relembre: as 14 decisões de Libertadores entre brasileiros e argentinos - 9

 

Bicampeão em 1992/93, o São Paulo chegou à decisão de 1994 podendo fazer história, já que um tricampeonato continental era algo que só o Estudiantes (1968/70) havia feito. Mas o Vélez não permitiu tal glória, superando os paulistas nas penalidades em pleno Morumbi.


Palmeiras x Boca Juniors (2000) – Boca campeão

 

Roman Riquelme,Galeano

 

O início da ‘era de ouro’ do Boca Juniors acontece justamente na virada do século, com título suado sobre o excelente Palmeiras de 2000. Após dois empates – 2 a 2 na Argentina e 0 a 0 no Brasil -, a decisão foi para os pênaltis, com os xeneizes levando a melhor por 4 a 2.


Santos x Boca Juniors (2003) – Boca campeão

 

Hugo Ibarra (L) of Boca Juniors of Argen

 

Dominante. Este foi o Boca na final de 2003. Sem tomar conhecimento da melhor equipe brasileira da temporada – o Santos viria a ser campeão nacional naquele ano -, o time argentino emplacou 5 a 1 no agregado e conquistou a Libertadores de forma categórica.


Grêmio x Boca Juniors (2007) – Boca campeão

 

Boca Juniors

 

Outro que não teve chances diante do avassalador Boca da primeira década dos anos 2000 foi o Grêmio. Na final de 2007, a equipe de Riquelme e companhia venceu por 3 a 0 em casa e por 2 a 0 no antigo Olímpico, freando o sonho do terceiro título pelo time gaúcho.


Cruzeiro x Estudiantes (2009) – Estudiantes campeão

 

Cellay,Kleber

 

Após a mágica reta final da década de 60 – onde emplacou três títulos seguidos -, o Estudiantes só voltaria a erguer a maior taça do continente em 2009, justo em cima de um clube brasileiro. O enredo foi bem dramático para o Cruzeiro, batido em pleno Mineirão lotado.


Corinthians x Boca Juniors (2012) – Corinthians campeão

 

Juan Roman Riquelme

 

Como você pode perceber, o futebol brasileiro vinha de cinco derrotas consecutivas em finais contra argentinos, até o ​Corinthians frear o Boca e sagrar-se dono da América pela primeira vez em sua história. 1 a 1 na Bombonera e 2 a 0 no Pacaembu sacramentaram o título alvinegro.


Grêmio x Lanús (2017) – Grêmio campeão

 

Maximiliano Velazquez

 

​Mais fresca na memória dos torcedores, está a decisão de duas temporadas atrás entre Grêmio e Lanús. Comandado por Renato Gaúcho, o time tricolor não deu chances ao rival argentino e venceu as duas partidas da decisão, voltando a conquistar a América após 22 anos.


Resultado parcial: Brasil 5 x 9 Argentina

 

Lionel Messi

 

É, amigos. Neste momento, a balança pende de forma favorável aos nossos arquirrivais… Será que o Flamengo adicionará o ‘6’ ao placar brasileiro, ou a distância ficará ainda maior?

Fonte: 90min