Futebol

Suor e dedicação: como Edina Alves se tornou a quarta melhor árbitra do mundo

Suor e dedicação: como Edina Alves se tornou a quarta melhor árbitra do mundo - 1

Única mulher a apitar jogos na ​Série A de 2019, Edina Alves, paranaense nascida em Goioerê, vive um ano pra lá de especial. Além de brilhar no Brasileirão – é apontada por muitos como uma das mais competentes da edição -, esteve em ação na Copa do Mundo Feminina e no Mundial Sub-17, competições importantíssimas do calendário do esporte. Além disso, foi eleita a quarta melhor árbitra do mundo pela Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), sendo a única brasileira a aparecer nesta apuração.

​​De origem humilde, sua relação com o futebol vem de décadas e passou por turbulências, já que viver do esporte no Brasil não é uma missão fácil. Contudo, o sonho de arbitrar partidas era maior que qualquer obstáculo: para alcançá-lo, Edina superou seus limites, criou resiliência e aprendeu que só a dedicação integral lhe traria frutos, história que ela mesma contou em reportagem especial produzida pelo ​UOL Esportes.

Quero ser árbitra. Ponto. Não é para ter pena de mim. Para isso, não faço chorinho. Mostro resultado com meu trabalho: treino sete dias por semana, faço o teste físico masculino e faço bem feito. Para os homens, o desempenho em campo é mais fácil, é uma questão física. A gente também consegue, só tem que treinar mais. E eu treino”, contou.

 

FIFA Women

 

Como falhar não é uma opção para Edina, não há ambiente hostil que a faça abaixar a cabeça. De pulso firme e muita fibra, a árbitra revela o ‘segredo’ para prosperar em um ambiente majoritariamente masculino: se impor. Sempre.

“Dia desses, participei de um jogo mais forte. Um jogador se aproximou de mim com os braços abertos, gritando para que eu desse um cartão amarelo em um lance. Quis me intimidar, dei cartão para ele. Quer falar comigo? Mostre respeito. Não vem de braço aberto para tentar intimidar que não cola. Dentro do estádio, deve existir uma troca de respeito mútua. Educação vem de casa. Não tem essa de acabar o jogo e vir pedir desculpa. O respeito é na hora”, disse.

 

FIFA Women

 

O momento especial da árbitra paranaense dialoga com o momento especial vivido pelo ​futebol feminino e pelo protagonismo feminino no esporte. Aos olhos de Edina, o que virá pela frente é ainda melhorAs mulheres vão dominar o futebol. As coisas têm mudado. Garanto para você. As meninas estão chegando com gana, com muita vontade. Aos pouquinhos, nós vamos dominar o mundo”, projetou.

Fonte: 90min