Futebol

Vice do River “facilita” planos da Conmebol e da Fifa para vagas em novo Mundial

Vice do River

​Com a conquista da Libertadores da América, ​Flamengo se garantiu, também, na disputa do novo Mundial de Clubes proposto pela Fifa, que terá sua primeira edição no ano de 2021. E, muito embora a Conmebol ainda não tenha definido como indicará todos os seus representantes, o fato de o River Plate ter ficado em segundo lugar facilita para a instituição colocar em prática a ideia de dar vaga, também, aos vices da Libertadores de 2019 e 2020.

 

Rafael Santos Borre

 

A princípio, a América do Sul terá seis participantes no torneio. Flamengo e Independiente del Valle (Equador), que ganhou recentemente a Copa Sul-Americana, já estão com passaporte assegurado. Os vencedores dos torneios no ano que vem também irão ao Mundial. Portanto, nos últimos meses a discussão de bastidor se deu em como fazer o restante da divisão de vagas. Inicialmente, falou-se que o retorno da Supercopa dos Campeões da América poderia ajudar nesta definição. Porém, o inchaço no calendário não é do agrado, por exemplo, da Confederação Brasileira de Futebol e da Associação de Futebol da Argentina. Também se pensou em indicar os campeões da Libertadores de 2017 (Grêmio) e 2018 (River Plate), mas isso acabou esfriando.

 

Diego Alves,Everton Ribeiro,Diego

 

Agora, como é do agrado da Fifa ter um representante argentino no torneio (por questões comerciais), a Conmebol indicar os vices da Libertadores de 2019 e 2020 é garantia de que o país sul-americano estará representado no Mundial. E este deve ser o caminho a ser tomado. A Europa, que tem oito vagas, mandará apenas os ganhadores da Liga dos Campeões da Europa e da Liga Europa das quatro edições anteriores ao torneio. Ou seja, clubes como Real Madrid, Liverpool, Chelsea e Atlético de Madri já estão com lugar assegurado.

Fonte: 90min