Esportes

Retrospectiva do Atlético-MG – Erros e acertos de 2019

Retrospectiva do Atlético-MG - Erros e acertos de 2019 - 1

Dezembro, fim de temporada. Mês de especulações, reformulações e, principalmente, reflexão. É hora dos dirigentes avaliarem erros, acertos e começarem a planejar 2020. E para saber o que funcionou e o que deixou a desejar, nada melhor do que uma retrospectiva do ano, não é mesmo? Então, confira a seguir um resumo do que aconteceu no 2019 do Atlético-MG:


Contratações

 

Vinicius Goes

 

Pensando no longo ano que teria pela frente – com pelo menos quatro competições por jogar -, o Atlético fez um mercado de janeiro forte em número de contratações. Chegaram à Cidade do Galo: Igor Rabello, Guga, Réver, Jair, Vinícius, Maicon Bolt, Rafael Papagaio e Geuvânio, sendo alguns acordos via compra, como o dos dois primeiros, ou negociações via empréstimo e oportunidades de mercado com jogadores livres.


Expectativas criadas

 

Atletico MG v Nacional URU - Copa CONMEBOL Libertadores 2019

 

Mantendo boa parte da base do elenco de 2018 e adicionando algumas peças interessantes, o Galo iniciou a nova temporada com status de time a ser monitorado, com potencial para brigar pelas primeiras posições no Campeonato Brasileiro ou, quem sabe, conquistar um troféu de ‘tiro curto’ como a Copa do Brasil.


Campeonato Mineiro

 

Marquinhos Gabriel,Cazares

 

O Alvinegro simplesmente sobrou na fase classificatória de seu Estadual, somando nove vitórias, um empate e apenas uma derrota, campanha que lhe garantiu a primeira posição e os benefícios de mando de campo. Passou por Tupynambás (quartas) e Boa Esporte (semifinal) com tranquilidade, mas acabou sucumbindo ao seu arquirrival, ​Cruzeiro, na grande decisão.


Copas

 

FBL-SUDAMERICANA-MINEIRO-COLON

 

Nenhum clube do futebol brasileiro jogou mais Copas que o Atlético-MG em 2019. Classificado à pré-​Liberta​dores, o time mineiro passou pelas fases iniciais até chegar aos grupos, mas acabou decepcionando e terminando em terceiro na sua chave. A queda precoce, por sinal, culminou na primeira mudança na comissão técnica alvinegra: sai Levir, entra Rodrigo Santana.

A terceira posição em seu grupo de Libertadores conduziu o Galo à Copa Sul-Americana que, pelo nível técnico bem acessível, passou a ser a prioridade do time. Entrando na segunda rodada, bateu Unión La Calera (CHI), Botafogo e La Equidad (COL), até chegar às semifinais. Acabou eliminado pelo argentino Colón nas penalidades, frustrando a massa.

 

Fechando a ‘trinca de insucessos’ do Atlético-MG em Copas na temporada, temos a Copa do Brasil, competição na qual adentrou já na fase de oitavas de final e caiu nas quartas, justo para seu arquirrival Cruzeiro. 


Parada da Copa América

 

Rodrigo Santana

 

Ainda que o desempenho em Copas tenha decepcionado, o Galo começava bem o Brasileirão e dava sinais de que competiria pelo G-6. Se posicionou bem antes da pausa para a Copa América e recebeu bons reforços na janela de julho. Além do retorno de Rômulo Otero, que estava emprestado ao futebol saudita, o clube mineiro contratou três estrangeiros: o atacante argentino Franco Di Santo, o lateral Lucas Hernández e o volante Ramón Martínez.


Brasileirão

 

Otero

 

Mesmo tendo qualificado seu elenco durante o hiato no calendário, o Galo involuiu após a volta do Brasileirão. Entre agosto e setembro, o time mineiro emplacou longas sequências sem vitória e foi se distanciando cada vez mais do pelotão da frente. Em outubro, a esperança por uma vaga na Libertadores já era mínima, e a preocupação da torcida passou a ser com o outro extremo da tabela de classificação. Rodrigo Santana, promovido ao cargo de treinador em abril, acabou sendo demitido no dia 13 de outubro e substituído por Vagner Mancini. As coisas não mudaram quase nada no Independência com a nova comissão técnica, e o Atlético terminou a competição com uma frustrante décima terceira posição (Sul-Americana).


Saldo final

 

Bruninho

 

Com exceção ao rebaixamento do maior rival e à valiosa ‘descoberta’ de joias da base como Marquinho e Bruninho – garotos que precisam ter mais espaço e minutos em 2020 -, a temporada 2019 foi de frustração para o Galo. Ficou claro que o clube mineiro precisará passar por uma reformulação de grandes proporções para o próximo ano, já que alguns veteranos demonstraram já não ter mais condições de atuar em alto nível com a camisa alvinegra.

Fonte: 90min