Esportes

Veja os cinco jogadores mais desvalorizados da temporada

Atletas que não corresponderam às expectativas podem terminar o ano dando prejuízo.

Em todo início de temporada, é impossível não criar expectativa em cima de alguns jogadores que têm tudo para serem protagonistas de suas equipes e do cenário de elite durante todo o ano. Quando essa estrela troca de time, a pressão por boas atuações é ainda maior, afinal, se ele trocou de clube fez isso porque seu bom futebol chamou a atenção da concorrência.

No entanto, nem sempre o que o torcedor, o clube e o próprio jogador esperam se torna realidade. Muitas vezes, a história que tinha tudo para virar um sonho de amor se transforma em um terrível pesadelo. Lesões, partidas ruins, problemas de relacionamento, falha na busca pelos objetivos e muitos outros fatores fazem com que o badalado atleta termine a temporada em baixa, buscando dar a volta por cima.

É neste caso que se encontram os cinco jogadores da lista a seguir preparada pelo Betsul, o melhor site de apostas esportivas da América do Sul. Por motivos diferentes, eles são aqueles que mais perderam valor de mercado desde que a temporada 2019/20 começou, e levando em conta a atual situação do mundo com a pandemia de Covid-19, pode ser que nem tenham tempo de terminá-la se reerguendo.

 

Antes de começar, vale dizer que o ranking foi feito levando em conta as maiores desvalorizações em valor absoluto e não em valor proporcional ao seu valor de mercado do começo da temporada.

 

5 – Philippe Coutinho (Barcelona/Bayern de Munique)

No final de 2018, Philippe Coutinho chegou ao auge de sua carreira, pelo menos no que diz respeito à sua valorização no mercado do futebol. Um ano após deixar o Liverpool valendo 65 milhões de euros, o meia brasileiro alcançou incríveis 150 milhões de euros de valor, mas logo tudo isso desmoronou.

Sem se firmar no Barcelona, Coutinho foi perdendo espaço, começou a receber chuva de críticas da imprensa e da torcida; o atleta chegou por empréstimo ao Bayern de Munique valendo “apenas” 70 milhões. Apesar de estar melhor na Alemanha, o jogador segue em baixa, e no início de abril foi avaliado em 56 milhões, perda de 34 milhões (37,8%) em relação ao começo da temporada.

 

4 – Lionel Messi (Barcelona)

De todos da lista, talvez Lionel Messi seja o mais injustiçado. Afinal, a idade avançada (32 anos) pesa na desvalorização do argentino, mas, apesar de ser bem relevante, não é o único motivo. Há alguns meses, o camisa 10 afirmou que para a reta final de sua carreira passaria por mais uma reinvenção: deixaria de jogar mais perto do gol para fazer uma função de armador, criando jogadas aos seus companheiros.

Essa mudança já começou e vem afetando um pouco o desempenho de Messi. Ele ainda é fundamental no Barcelona e apresenta números de dar inveja a muitos jogadores, mas são números abaixo do “padrão Lionel Messi”. Com isso, o gênio que iniciou a temporada 2019/20 valendo 150 milhões de euros chega no fim dela com 112 milhões de euros de valor de mercado, uma redução significativa de 38 milhões (25,3%).

 

3 – Ousmane Dembélé (Barcelona)

Aos 22 anos, Ousmane Dembélé era para ter sido uma das grandes contratações do Barcelona quando os catalães o tiraram do Borussia Dortmund. Ainda há tempo de mudar a situação, mas a verdade é que o francês vive tempos complicados na Espanha. Marcado para sempre pela besteira que fez contra o Liverpool na semifinal da Liga dos Campeões na temporada passada, o ponta-direita ainda não conseguiu se recuperar.

Além de sofrer com várias lesões seguidas, Dembélé não parece muito preocupado em retornar o quanto antes, é constantemente acusado de ser corpo mole e de irresponsável pelas coisas que faz na vida pessoal, principalmente nos períodos em que está contundido.

No início da temporada 2019/20, o francês já começou em baixa, valendo 100 milhões de euros, que só despencaram mais e mais até chegar a “somente” 56 milhões de euros em abril, uma desvalorização de 44 milhões (44%), a segunda maior porcentagem desta lista.

 

2 – Neymar (Paris Saint-Germain)

Por mais de um ano (início 2018 e meio de 2019), Neymar se manteve no topo do futebol mundial, valendo 180 milhões de euros no Paris Saint-Germain. Apesar de não conseguir levar o time à tão sonhada conquista da Liga dos Campeões, o protagonismo do brasileiro em outros objetivos do PSG o manteve como grande estrela na Europa.

Então vieram as lesões, os atos de indisciplina, as suspensões e a rotineira novela de troca de clubes. Tudo isso, evidentemente, tirou o foco de Neymar do campo para a sua vida, algo que só prejudicou o brasileiro. Duas sucessivas grandes perdas de valor de mercado fizeram o “preço” do jogador despencar para 128 milhões, perda gigantesca de 52 milhões de euros (28,9%).

 

1 – Eden Hazard (Real Madrid)

Não deve ser surpresa para ninguém que Eden Hazard lidera essa lista. Exceção a Dembélé, todos os outros jogadores desvalorizados ainda entregam bastante em campo, apesar da expectativa abaixo, mas nem isso o belga conseguiu fazer no seu primeiro ano no Real Madrid. Contratado com a absurda responsabilidade de substituir ninguém menos do que Cristiano Ronaldo, o ex-Chelsea não se encontrou e os merengues lamentam o dinheiro que perderam no momento.

Acima do peso, Hazard perdeu o início da temporada. Quando finalmente estreou, ainda estava visivelmente fora de forma, o que pode ter culminado nas péssimas partidas do belga. Sem se firmar, nunca foi protagonista e viu Zidane preferir jovens inexperientes como os brasileiros Rodrygo e Vinícius Jr. no seu lugar. Para piorar, lesões impediram que o ponta-esquerda tivesse sequência e o resultado é óbvio.

Hazard deixou o Chelsea valendo 150 milhões de euros, um dos maiores valores de mercado da atualidade, e chega ao final desta temporada valendo quase metade, 80 milhões de euros (46,7% menos do que o valor inicial).

 

Fonte: Betsul