Economia & Política

Acessos de banda larga via satélite dobram em 12 meses, diz Anatel

O número de acessos de banda larga via satélite registrado em julho foi o dobro do mesmo período do ano passado. De acordo com dados divulgados na terça-feira (25) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Anatel), em julho foram registrados 161.467 acessos de banda larga via satélite, o dobro em comparação a julho do ano passado, um aumento de 100,52%.

O uso de satélites para oferta de internet geralmente é direcionado para moradores de regiões interioranas e remotas. A solução é complementar e na maioria das vezes utilizada em locais sem infraestrutura de cabo nem fibra ótica.

“Algumas localidades no Norte, Nordeste e interior de São Paulo que não têm fibra, nem cabo, então o satélite é a solução. Esperamos ansiosamente pelas políticas públicas, que devem ser elaboradas pelo Executivo e Legislativo para serem implementadas pela Anatel”, disse nesta terça-feira o presidente da agência, Juarez Quadros, durante evento para debater o tema.

Atualmente, estão em operação no Brasil mais de 50 satélites, entre brasileiros e estrangeiros. De acordo com Quadros, com a chegada de novos satélites explorando a banda Ka, que oferece mais velocidade de acesso, a capacidade dedicada à oferta de banda larga via satélite no Brasil vai aumentar consideravelmente até 2021.

A expectativa é disponibilizar 177 gigahertz (GHz) à população, dos quais 128 GHz serão em banda Ka; ante 41 GHz da banda Ka ofertados em 2017. “A missão da Anatel é implementar a política pública de acesso aos serviços de telecomunicação e a banda Ka tem papel central nisso”, disse Quadros.

Taxa de fiscalização

Dentro da agência, um dos conselheiros da agência, Leonardo de Morais, defende a desoneração das taxas de fiscalização das VSATs (estação terrena de pequeno porte), que hoje é de R$ 201,12, que onera muito o uso de satélite para prestação de banda larga.

De acordo com o conselheiro, que é presidente do Comitê de Espectro e Órbita da Anatel, o tema é objeto de um projeto que tramita no Legislativo. “Se aprovado, reduzirá o valor para R$ 26,43 [equiparando com o Serviço Móvel Pessoal e Serviço de Comunicação Multimídia]”, disse Morais.

De acordo com a última pesquisa TIC Domicílios, produzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 42,1 milhões de residências no país que contam com o acesso à internet, cerca de 7% tem conexão via satélite.


Talvez você também goste