Brasil Notícias

Após 46 dias de seca, São Paulo registra tempestade

Após 46 dias sem índices expressivos de chuva, a capital paulista registrou nessa terça-feira (31), forte tempestade. O Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura de São Paulo informou que as chuvas começaram na noite de segunda-feira (30), na zona sul da capital, e na parte de manhã espalharam-se pela cidade acumulando uma média pluviométrica de 8,6 milímetros (mm).

O último registro expressivo de chuva na capital ocorreu em 13 de junho, quando houve um acumulado de 8,4 mm. Até hoje só foram registradas garoas que totalizaram 0,16mm.

Para amanhã, a previsão é de chuva fraca na cidade, com condições de chuvas isoladas nos próximos dias.

Segundo o meteorologista Michael Pantera, do CGE, períodos longos sem chuva durante o inverno são comuns devido a um fenômeno conhecido como “bloqueio atmosférico. “Consiste em uma massa de ar seco que ganha força e dificulta a passagem dos sistemas frontais pelo litoral paulista. Dessa forma, é usual que ocorram eventos de estiagem prolongada até que uma frente fria forte o suficiente rompa este bloqueio”, explicou.

O CGE registrou o maior período de estiagem na capital paulista em 2012, quando houve 62 dias de seca.

Reservatórios

Sistema Cantareira
Sabesp diz que falta de chuva reduziu para 39,6% capacidade do Sistema Cantareira – Divulgação/Sabesp
A escassez de chuvas reduziu a capacidade do Sistema Cantareira para 39,6%, de acordo com o boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).
O sistema é responsável por 47% do abastecimento da capital.
Em maio de 2014, o nível chegou a ficar abaixo de 10%, quando a Sabesp utilizou a reserva técnica de água (chamada volume morto) para abastecimento.

Talvez você também goste