Mundo

Família real britânica: saúde do príncipe Philip, de 99 anos, dá mais um susto

Marido da rainha Elizabeth II está internado há três semanas, mas melhorando

Rainha Elizabeth II e o Príncipe Phillip na varanda do Palácio de Buckingham – Fonte: Wikimedia

Após levantar preocupações sérias sobre seu estado de saúde ao ser submetido a tratamentos cardíacos, o príncipe Philip, 99 anos, marido da rainha Elizabeth II, parece estar em uma trajetória de recuperação. Ele está internado desde o dia 16 de fevereiro, quando foi para o hospital Rei Edward VII, em Londres.

Na quinta-feira, Philip, cujo título oficial é o de duque de Edimburgo, retornou ao Rei Edward VII após passar quatro dias em outro hospital, o St Bartholomew. O Palácio de Buckingham comunicou, na quinta-feira, que ele havia passado por uma cirurgia de sucesso no coração e continuaria hospitalizado para ter “tratamento, descanso e recuperação”.

Quando o duque foi internado, no mês passado, o palácio havia se limitado a comunicar que Philip tinha sido hospitalizado “por precaução” para tratar uma infecção. No hospital Rei Edward VII, chegou a receber a visita do seu filho mais velho e herdeiro do trono, o príncipe Charles.

Porém, no dia 1º, Philip foi transferido para outro hospital londrino, o St Bartholomew. Segundo o palácio, a mudança se deu para que o duque fosse tratado e observado com relação a uma condição cardíaca preexistente – o que fez soar alarmes na imprensa e na opinião pública mundial sobre o estado de saúde de Philip, agravados pela tradicional falta de clareza nas informações publicadas pela monarquia.

As preocupações diminuíram dois dias depois quando Camilla Parker-Bowles, esposa de Charles, disse em público que o sogro estava “melhorando lentamente”. No dia seguinte, saiu o comunicado do palácio sobre a cirurgia de sucesso à qual Philip havia se submetido.

 

Saúde do príncipe Philip tem causado sustos nos últimos anos

Prestes a completar um século de vida em junho, Philip já recebeu as duas doses da vacina contra a covid-19, assim como sua esposa, a rainha, que tem 94 anos. Desde o início da pandemia, o casal tem passado a maior parte do tempo em isolamento no Castelo de Windsor, a cerca de 40 quilômetros de Londres. A idade avançada torna Elizabeth e Philip extremamente vulneráveis ao coronavírus. O príncipe Charles chegou a contrair a doença no ano passado, aos 71 anos, mas teve apenas sintomas leves.

O comunicado do palácio que comunicou que Philip havia sido transferido para o hospital St Bartholomew para tratar de condições cardíacas causou preocupação porque, em 2011, aos 90 anos, um stent havia sido inserido em uma artéria do coração do duque para evitar o bloqueio do vaso sanguíneo. Na ocasião, Philip havia sentido dores no peito e teve que ser removido de helicóptero da residência real de Sandringham, no leste da Inglaterra, para ser internado.

O duque, porém, teve outros episódios conhecidos de problemas de saúde.

– Em 2010, Philip passou por uma cirurgia devido à síndrome do túnel do carpo.

– Dois anos depois, o duque foi internado para tratar uma cistite, o que impossibilitou que ele participasse das comemorações do jubileu de diamante da rainha. Após dois meses, ele voltou a se hospitalizar devido a mais uma cistite.

– Em 2013, Philip passou 11 dias no hospital para passar por uma operação exploratória no abdômen.

– Em 2018, o duque se submeteu a uma operação médica planejada no quadril.

– Em dezembro do ano seguinte, Philip foi internado no hospital Rei Edward VII para tratar condições preexistentes.

Tanto o Rei Edward VII, onde o duque está internado, quanto o hospital St Bartholomew, para onde ele foi transferido para a cirurgia cardíaca da semana passada, são hospitais de excelência na capital britânica. No seu período de hospitalização, Philip tem à sua disposição profissionais altamente capacitados, cuidados personalizados e uma ótima estrutura de equipamentos médicos, higiene, isolamento acústico e segurança.

O Rei Edward VII é um hospital privado que tem um histórico de atendimento aos membros da família real. A rainha já esteve internada duas vezes na instituição – na primeira, em 1982, para uma extração de dente e depois, em 2002, para uma cirurgia no joelho. Também foram pacientes do hospital Charles, Kate Middleton, a rainha-mãe Elizabeth Bowes-Lyon e a princesa Margaret, irmã da atual monarca. Mais recentemente, Meghan Markle, esposa do príncipe Harry, deu à luz o filho Archie Harrison no Rei Edward VII.

A instituição foi fundada em 1899 para tratar os militares que voltavam da Segunda Guerra Bôer, na região que hoje corresponde à África do Sul. O hospital fica em uma rua calma, possui apenas 56 camas e procura oferecer um ambiente pacífico, privativo e personalizado.

Já o hospital St Bartholomew fica em uma região movimentada, relativamente próximo ao parlamento britânico. A transferência do príncipe Philip para o St Bartholomew indica que o marido da rainha precisou de uma equipe mais especializada em questões cardíacas. A instituição faz parte do NHS (Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido). Segundo o site do NHS, o hospital é o maior centro de espacialização no sistema cardiovascular da Europa, com 300 leitos.

O St Bartholomew é também o hospital mais antigo do Reino Unido – vai completar 900 anos em 2023.