Brasil Notícias

Protesto de caminhoneiros afeta distribuição de jornais e revistas

Empresas de comunicação também estão sentindo os efeitos da crise de abastecimento provocada pela paralisação dos caminhoneiros há cinco dias. Vários jornais informaram na sexta-feira (25) aos leitores, na primeira página de seus sites, que tiveram suas atividades, sobretudo a distribuição, prejudicadas. “Em razão da greve dos caminhoneiros, a edição impressa da revista Época não circula nesta sexta-feira com o jornal O Globo. A revista (…) será entregue aos assinantes tão logo seja possível”, avisou o jornal carioca.

A Folha de S.Paulo e O Estado de São Paulo também lamentaram não conseguir fazer o jornal chegar nesta quinta-feira a todos os assinantes. “Os bloqueios ocasionados pela paralisação dos caminhoneiros afetaram a distribuição da Folha em diferentes cidades do país. Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e Florianópolis estão entre as capitais atingidas”. informou. A empresa relatou ainda que chegou a substituir o transporte terrestre por aéreo, mas não obteve êxito em romper, mesmo com vans e kombis, o bloqueio dos caminhoneiros nas entradas das cidades. Já o Estadão comunicou que parte de seus assinantes que mora fora da capital paulista, hoje em estado de emergência, “poderá não receber os jornais em suas residências nos próximos dias.”

Como a maioria das empresas, os grupos de comunicação privados e públicos estão racionalizando o uso de veículos para economizar combustível, sem prejudicar o deslocamento das equipes de reportagem. A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) está tomando esta medida preventivamente, tanto na Agência Brasil, quanto em suas emissoras de TV e rádio.


Talvez você também goste